MPLA na Huíla: Partido garante estar pronto para mais uma ″vitória por 5-0″ | Angola | DW | 21.05.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

MPLA na Huíla: Partido garante estar pronto para mais uma "vitória por 5-0"

"O povo tem mil motivos para continuar a acreditar que com o MPLA melhores dias virão", sublinhou Nuno Dala, primeiro secretário provincial do MPLA na Huíla durante um ato de massa no quadro da pré-campanha eleitoral.

O Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), realizou neste sábado (21.05), na cidade do Lubango, província da Huíla, um ato político de massa, no quadro da pré-campanha eleitoral do partido. O encontro foi liderado pela vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, em representação de João Lourenço, candidato às eleições de agosto próximo.

Nuno Mahapi Dala, primeiro secretário provincial do MPLA na Huíla, não tem dúvidas de que o seu partido voltará a conseguir a vitória por 5-0.

"A Huíla de há cinco anos não é a mesma de hoje. Houve progresso e desenvolvimento e por isso o povo tem mil motivos para continuar a acreditar que, com o MPLA, melhores dias virão. Os huilanos depositam a sua total confiança  no MPLA e no seu líder, desejando que juntos e unidos façamos uma boa pré-campanha eleitoral dentro do espírito de tolerância e urbanidade que caracteriza o militante do MPLA”, sublinhou.

"Paz e o desenvolvimento"

Luísa Damião recordou aos presentes que foi na Huíla, em 2017, que João Lourenço deu início à sua campanha. A responsável considerou que o MPLA fez o seu caminho para voltar a vencer as próximas eleições.

"Estamos a fazer a nossa caminhada melhorando o que está bem e corrigindo o que está mal. Estamos a fazer o nosso caminho construindo o nosso país com base em duas premissas fundamentais: a paz e o desenvolvimento.”

Angola | MPLA

Apresentação de João Lourenço, enquanto candidato presidencial, no Lubango em 2017 (Arquivo)

Damião aproveitou ainda o momento para elencar alguns feitos do seu partido.

"Assistimos a uma melhoria no ambiente de negócios e cada vez menos a presença do Estado na economia, contando sempre com o setor privado. Importa realçar também a melhoria da imagem de Angola no mundo junto das instituições financeiras e dos investidores. Tudo isso fruto das reformas que estão em curso no país sob a liderança do camarada João Lourenço. Fica mais que claro tudo que se fez em tão pouco tempo e aumenta a certeza e a confiança de um futuro melhor. Com uma participação ativa de todas as forças vivas da nossa sociedade vamos continuar a trabalhar para a estabilidade, harmonia e para a paz do nosso país”, frisou.

"O povo está atento"

A segunda figura da hierarquia do partido que sustenta o Governo acusou os partidos da oposição de trabalharem em várias estratégias para provocar instabilidade no país.

"Os angolanos, os nossos militantes, simpatizantes, amigos do MPLA e cidadãos eleitores devem continuar vigilantes com aqueles que nada fazem. Falhou a estratégia de criarem instabilidade nas instituições, a estratégia de financiarem manifestações, agora terão outras estratégias 'baixas' mas o povo está atento e não se deixará enganar", disse.

João Lourenço

João Lourenço

Para o MPLA, resolver os problemas do povo é o objetivo, afirma Luísa Damião.

"Temos hoje mais escolas, mais hospitais, mais energia elétrica, temos mais água. É evidente que precisamos fazer mais em vários domínios e este é o perene compromisso do MPLA. Queremos uma Angola de paz e de desenvolvimento, onde a criança continua a ir à escola, onde o jovem desenvolva cada vez mais o seu talento, onde os idosos se sintam cada vez mais protegidos, onde as mulheres continuam a beneficiar de mais oportunidades".

A vice-presidente do MPLA apelou os eleitores a consultarem os vários mecanismos disponibilizados pelo executivo para saberem onde votar.

"Ninguém deve ficar sem votar, nós temos que continuar a trabalhar para que todos contribuam para a retumbante vitória do nosso glorioso partido. Só vamos contribuir se exercermos o nosso direito de voto, sempre com muita visão estratégica, devemos levar o maior número possível para as assembleias de voto".

De recordar que, nas últimas eleições gerais, realizadas a 23 de agosto de 2017, o MPLA, no círculo provincial da Huíla, venceu por expressivos 5-0, perfazendo um percentual de 76,56%.

Angola: "O meu voto vai para a juventude e não para os mais velhos"

Leia mais