Morreu o ex-Presidente egípcio Hosni Mubarak | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 25.02.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Morreu o ex-Presidente egípcio Hosni Mubarak

O ex-Presidente egípcio Hosni Mubarak, afastado do poder em 2011 no âmbito da chamada Primavera árabe, morreu esta terça-feira, no Cairo, aos 91 anos, noticiou a televisão estatal.

Hosni Mubarak morreu no hospital militar Galaa, no Cairo, onde estava internado há um mês na sequência de uma operação, devido a um problema gastrointestinal.

O funeral do antigo chefe de Estado vai ser organizado pela presidência egípcia, disse fonte familiar citada pela Agência France-Presse (AFP). 

Nascido em 1928 numa pequena aldeia do Delta do Nilo, em 1928, Mubarak formou-se aos 21 anos na Academia Militar Egípcia. No mesmo ano transferiu-se para a Força Aérea, onde chegou a chefe do Estado-maior da Força Aérea durante a Guerra do Yom Kippur, de 1973. Em 1974, foi promovido a marechal. Um ano depois, seria escolhido para a vice-presidência do país. 

30 anos no poder

Hosni Mubarak esteve 30 anos no poder, até à revolta popular de 2011, tendo sido forçado a demitir-se ao fim de 18 dias de protestos em massa nas ruas de várias cidades do Egito.

Até 11 de fevereiro de 2011, Mubarak governou o Egito com mão de ferro, desde que assumiu a presidência em 1981, após o assassinato do seu antecessor, Anwar Al Sadat.

Após a revolta popular, o Presidente deposto foi julgado pela morte de cerca de mil manifestantes na repressão das manifestações, mas acabou por ser absolvido em 2014.

Mubarak cumpriu pena por crimes económicos e foi libertado em 2017, após cerca de seis anos de prisão, onde passou quase todo o tempo no hospital devido ao seu delicado estado de saúde.

Desde que foi libertado, levou uma vida muito discreta, longe dos holofotes mediáticos, embora a imprensa local tenha conseguido registar algumas imagens do ex-Presidente com a família.

 

Leia mais