Moçambique pede à comunidade internacional que intensifique ajuda | Moçambique | DW | 28.03.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Moçambique pede à comunidade internacional que intensifique ajuda

O chefe da diplomacia moçambicana, José Pacheco, apelou à comunidade internacional para intensificar a ajuda humanitária às vítimas do ciclone Idai. França, Brasil e Estados Unidos já anunciaram mais apoio.

"O Governo reitera a importância de se continuar a intensificar a ajuda humanitária, sem obviamente descurar outras medidas de apoio para o restabelecimento dos serviços e atividades económicas e sociais", afirmou José Pacheco, falando esta quarta-feira (27.03) na abertura de um encontro com representantes do corpo diplomático acreditado em Moçambique.

A passagem do ciclone Idai pelo Moçambique, segundo os últimos dados do Governo, causou pelo menos 468 mortos, mais de 1.500 feridos e mais de 135 mil desalojados, levando um rastro de destruição à zona centro do país.

Sem a ajuda da comunidade internacional, prosseguiu o ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, o sofrimento das pessoas afetadas pelo ciclone Idai teria sido mais profundo e penoso e o processo de salvamento de vidas humanas teria sido comprometido e de impacto limitado.

Mais coordenação

O chefe da diplomacia moçambicana defendeu ainda a necessidade do aprimoramento dos mecanismos de coordenação entre as entidades governamentais e os parceiros internacionais na prestação de assistência humanitária, de modo a assegurar que o apoio chegue às vítimas em tempo útil.

Assistir ao vídeo 01:41

Manica: Centros de acolhimento estão cheios e desalojados ficam na estrada

Por seu turno, falando em nome do corpo diplomático acreditado em Moçambique, o embaixador da Palestina, decano adjunto dos embaixadores em Maputo, Fayez Jawad, manifestou o compromisso da comunidade internacional no apoio às vítimas do ciclone Idai, assinalando o dever moral e humanitário do mundo perante situações de emergência provocadas por desastres naturais.

"Asseguramos a nossa solidariedade e apoio no alívio do sofrimento das famílias vítimas e o compromisso de fornecer tudo o que for possível para que os afetados possam enfrentar os efeitos desta catástrofe, como um dever moral e humanitário", declarou Fayez Jawad.

Mais ajuda humanitária a caminho

A França enviou quarta-feira (27.03) um segundo avião de ajuda humanitária para Moçambique, com 65 toneladas de bens, no quadro da missão "Ação Humanitária França", realizada com organizações não-governamentais e fundações de empresas parceiras.

Os Estados Unidos da América (EUA) também prometeram enviar mais aeronaves militares e comerciais com apoio.

O Brasil anunciou que vai enviar esta sexta-feira (29.03) dois aviões de transporte Hércules C-130, da Força Aérea Brasileira com ajuda humanitária, incluindo uma equipa de bombeiros que irá contribuir com o trabalho está a ser realizado em Moçambique."Já mobilizámos 100 mil euros em favor de Moçambique", disse o chefe da diplomacia brasileira, Ernesto Araújo.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados