Moçambique: Manuel Araújo garante que vai tomar posse em Quelimane | Moçambique | DW | 18.01.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Moçambique: Manuel Araújo garante que vai tomar posse em Quelimane

Membros e simpatizantes da RENAMO comemoraram as declarações de Manuel Araújo de que vai tomar posse como presidente do conselho autárquico da cidade moçambicana.

Mosambik RENAMO Versammlung in der Provinz Quelimane (DW/M. Mueia)

Simpatizantes de Manuel Araújo em Quelimane

Centenas de simpatizantes da RENAMO reuniram-se nesta sexta-feira (18.01) na zona da Sagrada, em Quelimane, para receber com cânticos Manuel Araújo e felicitá-lo pelas declarações de que vai tomar posse como presidente do conselho autárquico da cidade moçambicana.

As declarações foram dadas por Araújo no fim do VI Congresso da RENAMO, na Gorongosa.

"Na República de Moçambique, a soberania ainda não reside no povo. Quando a soberania não reside no povo, o país é autoritário. A missão dos cidadãos é pegar nos instrumentos que têm e lutar contra o regime. É isso que vamos fazer”, afirmou.

Palavras encorajadoras

Membros e simpatizantes da RENAMO reagiram com grande satisfação às palavras de Araújo considerando-as encorajadoras, face ao acórdão do Tribunal Administrativo sobre o mandato que o autarca cumpria desde 2014.

"Nós estamos bem emocionados uma vez que nos esperávamos que um dia as coisas fossem diferente. Quanto à tomada de posse, ele é a pessoa para nos esclarecer melhor", disse um simpatizante. "Foi uma alegria para nós. Foi uma luta para ganharmos as eleições. Nós estamos à espera que esse dia de tomada de posse chegue", declarou o também simpatizante Pablo Salato.

Ouvir o áudio 03:03
Ao vivo agora
03:03 min

Manuel Araújo garante que vai tomar posse em Quelimane

Críticas ao Poder Judiciário

Manuel de Araújo contesta o acórdão emitido pelo Tribunal Administrativo de Moçambique há uma semana e meia, rejeitando o seu pedido de anulação de perda de mandato, pelo facto de deixar o Movimento Democrático de Moçambique (MDM) e ingressar na RENAMO.

"Essa posição é mais uma confirmação de que o nosso Poder Judiciário está esgotado. Nós precisamos reinventar o nosso sistema judiciário porque ele não é independente. Temos que começar uma nova luta para libertar os nossos juízes que até hoje estão amarrados ao Poder Executivo. O acórdão do Tribunal Administrativo é, sem margem de dúvida, uma encomenda política. Isso é uma violação”, declarou Araújo.

Mudanças na FRELIMO em Quelimane

O conflito interno na FRELIMO em Quelimane já foi minimizado. Na tarde de quinta feira (17.01), o secretariado do comité do partido na cidade, Pita Duarte, demitiu-se. Ele é acusado de ter contribuído para a derrota da FRELIMO nas últimas eleições autárquicas em Quelimane.

A reunião que culminou com a demissão demorou poucas horas, mas contou com uma boa presença de quadros seniores do partido ao nível da Província da Zambézia. Entre eles, esteve Paulino Lenco, secretário provincial que antes disse à imprensa que as eleições deste ano estão a ser preparadas como todo rigor.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados