Moçambique: Ativistas apelam a Filipe Nyusi após ataque contra advogado | Moçambique | DW | 27.01.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Moçambique: Ativistas apelam a Filipe Nyusi após ataque contra advogado

A Rede Moçambicana de Defensores de Direitos Humanos denuncia ameaças contra o advogado João Nhampossa. A organização convida o Presidente Filipe Nyusi para um encontro para perceber as reais intenções dos ativistas.

Integrantes da Rede Moçambicana de Defensores de Direitos Humanos em Maputo

Integrantes da Rede Moçambicana de Defensores de Direitos Humanos em Maputo

O advogado e defensor dos direitos humanos João Nhampossa foi ameaçado e semanas depois o seu escritório foi alvo de assalto, denunciou esta quinta-feira (27.01) a Rede Moçambicana de Direitos Humanos.

Os malfeitores roubaram um computador, telemóvel e alguns documentos, entre vários bens que estavam no escritório.

Para João Nhampossa, "parece que há um programa de ataque contra os defensores dos direitos humanos, contra os ativistas sociais, como que se eles estivessem a fazer um trabalho que perturba o desenvolvimento de Moçambique o que não é verdade".

Nyusi chamado a discutir situação dos direitos humanos

O advogado lembra o discurso do Presidente Nyusi no primeiro mandato que destacou de forma exaustiva a defesa dos direitos humanos que o causídico quer que se torne real.

"Aproveito também este momento para pedir ao Presidente da República para ter um encontro com os defensores dos direitos humanos, com ativistas dos direitos humanos, sociais a conversar com eles para perceber qual é a logica do seu trabalho, até que ponto este grupo de trabalho contribui para a consolidação da paz, para o desenvolvimento económico de Moçambique e para a defesa dos direitos humanos", apelou Nhampossa na conferência de imprensa em Maputo.

Mosambik Pemba | Filipe Nyusi

Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique, defendeu no primeiro mandato os direitos humanos, segundo João Nhampossa

O politólogoJaime Macuane, também membro da Rede de Defensores de Direitos Humanos, refere que o que aconteceu com o advogado João Nhampossa "mostra mais uma vez que a situação dos direitos humanos em Moçambique continua preocupante".

Macuane denuncia que "os defensores de direitos humanos são frequentemente sujeitos as mais variadas formas de repressão, perseguição, rapto e violência psicológica e física".

Tentativa de silenciamento

João Nhampossa destaca-se na defesa dos direitos das comunidades que acomodam os megaprojetos. Por isso, Jaime Macuane não tem dúvidas de que o ataque é tentativa de silenciamento.

"O advogado esteve recentemente num dos canais televisivos para comentar sobre o processo de venda da Vale Moçambique e trabalha em vários assuntos de interesse público e direitos humanos como o caso das dívidas ocultas, indústria extrativa e portagens ilegais montadas na estrada circular", apontou.

A organização exige que as autoridades investiguem e responsabilizem os indivíduos envolvidos no assalto.

A violência terrorista contra crianças em Cabo Delgado

Leia mais