Moçambique: 10ª classe retomou aulas presenciais | Moçambique | DW | 19.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Moçambique: 10ª classe retomou aulas presenciais

Alunos da 10ª classe do ensino público moçambicano regressaram às escolas esta segunda-feira (19.10). Professores concordam com a retoma gradual, mas preparam monitoria no terreno.

Bibliothek in der Matola Schule

Escola Secundária da Matola, em Moçambique

Está dado mais um passo do plano de progressivo do regresso às escolas em Moçambique. Cerca de 300 mil alunos da 10ª classe de escolaridade do sistema de ensino público retomaram as aulas presenciais esta segunda-feira (19.10), na sequência do alívio das restrições para prevenção da Covid-19.

"A experiência de retoma das aulas da 12.ª classe a 1 de outubro foi boa", afirmou esta segunda-feira (19.10) Feliciano Mahalambe, porta-voz do Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano, citado pela Rádio Moçambique.

Professores preparam monitoria

À DW, a Organização Nacional dos Professores do Sindicato Nacional dos Professores de Moçambique (ONP-SNPM) disse estar “de acordo com a retoma gradual das aulas porque se não acontecesse poderia colapsar o próprio sistema educativo”.

Assistir ao vídeo 02:19

Moçambique: Projeto incentiva as crianças à leitura durante a pandemia

“Aqui na verdade há muito receio, mas entende-se que há mecanismos que estão a ser usados, há a reabilitação das escolas e também a sensibilização das próprias comunidades”, admite Amadeus Lucas Impuana, secretário nacional da ONP-SNOM.

Impuana entende que há condições para este regresso, mas alerta que a organização está atenta e que, dentro em breve, vai “conduzir uma monitoria” no terreno e acompanhar cada ponto “passo a passo”. 

Retoma gradual

Desde o regresso a 1 de outubro, a 12ª classe regista "80% de presença de alunos", sendo que "as escolas que estavam em condições de retomar as aulas abriram todas, com o envolvimento de alunos, professores e encarregados de educação", referiu Feliciano Mahalambe.

Hoje é a vez da 10ª classe e são também retomadas as aulas do 3.º ano de educação de adultos. Para dia 2 de novembro está agendado o regresso aos estabelecimentos de ensino dos alunos da 7ª classe.

A reabertura das classes sem exame (ou seja, outras além da 7ª, 10ª e 12ª) está condicionada à aprovação das autoridades de saúde e educação.

Maputo Schule

A 1 de outubro, a 12ª classe retomou as aulas presenciais, 80% dos alunos compareceram

Passagem de ano burocrática

Nos casos em que não houver condições, "os alunos vão progredir" para o nível seguinte, anunciou a ministra da Educação e Desenvolvimento Humano, Carmelita Namashulua, em conferência de imprensa no final de setembro.

A progressão automática prevê adaptação de conteúdos e capacitação de professores para que os alunos tenham acesso "a matérias que deviam ter sido lecionadas", acrescentou.

O ano letivo moçambicano arranca usualmente em fevereiro e termina em dezembro, mas desta vez tem fecho marcado para 26 de fevereiro de 2021. 

Mais alunos que em 2019

Quando as aulas começaram, em fevereiro deste ano, antes de ser declarada a pandemia de Covid-19, o Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano de Moçambique contava com 8,4 milhões de alunos no novo ano letivo, um aumento de 4,7% em relação a 2019.

Cerca de um milhão frequentam o ensino secundário, enquanto a maioria são alunos do ensino primário (do primeiro ao sétimo ano de escolaridade).

Moçambique regista um total acumulado de 10.866 casos de Covid-19 com 75 mortos e 8.272 recuperados (76% do total).

Assistir ao vídeo 03:54

Covid-19: Professores "ambulantes" em Manica

Leia mais