Moçambicano sequestrado na Ucrânia já foi libertado | NOTÍCIAS | DW | 11.03.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Moçambicano sequestrado na Ucrânia já foi libertado

Álvaro Simão Cossa, que tinha sido raptado em Kiev, já se encontra em casa, segundo o irmão da vítima, que não avança detalhes sobre as circunstâncias do sequestro e da libertação.

O empresário moçambicano Álvaro Simão Cossa, que tinha sido raptado em Kiev, "já foi libertado e está em casa", disse esta sexta-feira (11.03) à agência de notícias Lusa o irmão da vítima, Boaventura Simão Cossa.

"O filho do meu irmão [Álvaro Simão Cossa] ligou-nos a informar que o meu irmão já foi libertado e está em casa", afirmou Boaventura Simão Cossa.

A fonte avançou que o irmão está bem de saúde, mas adiantou não dispor de mais pormenores sobre as circunstâncias do seu rapto e da libertação.

Esta quinta-feira, em declarações à DW, o ministro conselheiro da Embaixada de Moçambique na Alemanha, Julião Langa, tinha confirmado o sequestro e os esforços das autoridades moçambicanas para localizar o empresário que vive na Ucrânia há 30 anos.

"Confirmou-se este rapto e a nossa Embaixada em Moscovo está a interagir com a família. As démarches diplomáticas estão a ser feitas através do Ministério dos Negócios Estrangeiros em Maputo", afirmou.

Até à data, o Governo de Moçambique desconhecia os responsáveis pelo sequestro. "É uma zona de guerra, decorre um conflito armado e não sabemos qual seria a motivação. É um cidadão moçambicano que vive lá há mais de 30 anos e não é parte de nenhum conflito", explicou Julião Langa.

Ucrânia: Uma guerra ainda sem fim à vista

Leia mais