Militar morto a dois dias das eleições na Guiné-Conacri | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 16.10.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Militar morto a dois dias das eleições na Guiné-Conacri

Homens armados mataram o comandante de uma base militar na Guiné-Conacri. Acesso ao centro da capital foi bloqueado a dois dias das eleições presidenciais.

(Fotografia de arquivo)

(Fotografia de arquivo)

A dois dias das eleições presidenciais na Guiné-Conacri, homens armados mataram um comandante numa base militar em Kindia, a quarta maior cidade do país.

O ministro da Defesa, Mohamed Diane, informou em comunicado que, "na noite de quinta para sexta-feira [16.10], homens armados abriram fogo dentro do campo militar […] ferindo fatalmente o coronel Mamady Condé".

Uma fonte militar disse à agência de notícias France-Presse, sob condição de anonimato, que o oficial enfrentava acusações de "nepotismo, etnocentrismo e sobretudo de ter bloqueado os bónus para os soldados que regressavam de Kidal", no Mali, tendo sido ameaçado várias vezes. Outra fonte disse à agência dpa que o ataque resultou de uma tentativa fracassada de motim.

As autoridades da Guiné-Conacri referem apenas que "as investigações estão em curso e as buscas continuam".

Acesso ao centro da capital barrado

Entretanto, na contagem decrescente para as presidenciais de domingo, as forças de segurança montaram barricadas nas estradas, bloqueando o acesso ao centro da capital. A Agência France-Presse refere que não foi dada qualquer explicação oficial sobre a medida.

A campanha eleitoral para as presidenciais de domingo tem sido turbulenta, sucedendo a meses de protestos contra a candidatura de Alpha Condé, de 82 anos de idade, a um terceiro mandato de cinco anos na Presidência.

Guinea Wahlkampf Cellou Dalein Diallo

Cellou Dalein Diallo durante a campanha eleitoral

Durante a campanha, as trocas de insultos entre Condé e o seu principal adversário, Cellou Dalein Diallo, de 68 anos, foram constantes. Este mês, Diallo disse em entrevista à emissora France 24: "Com a sua idade, Alpha Condé já não está apto para liderar a Guiné, está cansado".

Fonte da polícia referiu à AFP que Condé deverá visitar a capital para uma última ação de campanha antes das presidenciais de domingo.

A União Africana vai enviar 25 observadores às eleições. A missão da UA será comandada pelo ex-primeiro-ministro da República Democrática do Congo Augustin Matata Ponyo.

Assistir ao vídeo 02:06

Selfies com lixo por uma Conacri mais limpa

Leia mais