Membros da RENAMO boicotam Manuel de Araújo, em Quelimane | Moçambique | DW | 29.08.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Membros da RENAMO boicotam Manuel de Araújo, em Quelimane

Revolta dos representantes da RENAMO na Assembleia Autárquica contra o edil de Quelimane culminou no cancelamento da sessão desta quinta-feira (29.08). Membros da RENAMO alegam que Manuel de Araújo não paga os salários.

Mosambik | Politischer Konflikt | Quelimane (DW/M. Mueia)

Vinte membros da RENAMO não compareceram à sessão da Assembleia Autárquica de Quelimane

Um grupo de 20 dos 24 membros da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) que compõem a maioria na Assembleia Autárquica de Quelimane boicotou uma reunião na manhã desta quinta-feira (29.08) no salão nobre do edifício do Conselho Autárquico, alegando falta de entendimento e mau relacionamento com Manuel Araújo, edil da cidade e pertencente à mesma formação política.

Além de problemas relacionados com o não pagamento de salários, os membros da bancada da RENAMO em conflito com Manuel de Araújo disseram, sem gravar entrevistas, que as relações com o edil são más porque não há promoções e nem progressão na carreira profissional e muito menos subsídios de chefia para as pessoas que exerçam essas funções.

A reunião tinha sido marcada para as oito horas da manhã, mas devido à ausência dos representantes da RENAMO, o início dos trabalhos foi alargado para as 10 horas locais. Mesmo assim, a maioria dos membros da RENAMO não compareceu.

Mosambik | Manuel António José (DW/M. Mueia)

Manuel António José

Sessão cancelada

O presidente da Assembleia Autárquica, Manuel António José, também da RENAMO, ao ver que só estavam presentes os membros da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO), cancelou o encontro.

"Persistindo a falta de quórum necessário para que se possa iniciar os trabalhos, o presidente da Assembleia Municipal considera a reunião sem efeito nos termos do dispositivo legal do regimento," determinou.

A DW África tentou várias vezes, sem sucesso, ouvir os membros da RENAMO que não compareceram à reunião.

Críticas e indignação

Já o chefe da bancada da FRELIMO, Francisco Ponta, ao falar aos microfones da DW África, mostrou-se indignado com a situação.



Ouvir o áudio 02:29

Membros da RENAMO boicotam Manuel de Araújo, em Quelimane

"Para nós, é muito triste. Estávamos preparados para discutir os assuntos que foram arrolados sobre a conta-gerência de 2018, assim como o reajuste do orçamento. Chegamos aqui e estamos a ver que os nossos colegas estão ausentes," descreveu.

"Temos informações de que há um assunto interno que está-se a tratar: primeiro, os membros não tiveram o seu ordenado e, como se não bastasse, solicitaram aos chefes das Finanças para debaterem a questão e perceber melhor o que está a acontecer. Como são problemas que não foram solucionados, então os colegas acharam melhor ficar em casa do que vir aqui e discutir essa questão. Há muita coisa que dá para se resolver e não está tendo solução. É lamentável," acrescentou.

Alige de Morais, também da FRELIMO, criticou o edil Manuel Araújo.

"O presidente do Conselho Autárquico apareceu aqui a mentir perante os membros da Assembleia, a dizer que estava a mudar carreiras. Alguns funcionários já tinham salários em atraso, portanto era tudo mentira. Ontem, víamos a bancada da RENAMO a aplaudir. Hoje é a própria bancada da RENAMO que está a ver que o presidente não serve para nada," disparou

No local, Manuel de Araújo, negou prestar qualquer informação à DW África, tendo afirmado estar muito ocupado.

Recorde-se que a Assembleia Autárquica de Quelimane é constituída por 40 membros - dentre os quais 24 da RENAMO, 15 da FRELIMO e um do Movimento Democrático de Moçambique (MDM).







Leia mais

Áudios e vídeos relacionados