Manica: Polícia apela à denúncia de abusos sexuais | Moçambique | DW | 26.02.2018

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Manica: Polícia apela à denúncia de abusos sexuais

Em 2017, foram reportados 120 casos de abuso sexual em Manica. No entanto, a polícia afirma que muitos outros são abafados no seio familiar. Organizações de defesa das vítimas pedem uma mudança de mentalidades.

A polícia moçambicana está a apelar aos cidadãos para quebrarem o silêncio e denunciarem casos de abuso sexual. O pedido surgiu após a uma denúncia de uma menor de 12 anos, que disse ter sido abusada sexualmente pelo avô, infetado com o vírus da SIDA.

Mateus Avelino Mindu

Mateus Avelino Mindú,porta-voz da Polícia da República de Moçambique

O porta-voz da Polícia da República de Moçambique, Mateus Avelino Mindú, agradeceu aos pais por fazerem a denúncia publicamente. "Queremos aproveitar, deste modo, para saudar o comportamento dos progenitores da menor ao se dirigirem ao gabinete de atendimento, para denunciar esse tipo de acto, porque casos similares têm acontecido noutras regiões e os familiares resolvem-nos a nível familiar", explica.

A menor está sob cuidados médicos. O avô, de 63 anos de idade, está detido a aguardar julgamento, mas nega as acusações.

No ano passado, na província central de Manica, foram reportados 120 casos de abuso sexual. Mas as autoridades temem que o número seja bastante superior - por falta de denúncias.

"LeMuSiCa" apoia

Anchia Camal Mulima Anaiva

Anchia Camal Mulima Anaiva, coordenadora da organização "LeMuSiCa"

Anchia Camal Mulima Anaiva, coordenadora da organização "LeMuSiCa" (que quer dizer "Levante-se Mulher e Siga o seu Caminho"), pede uma mudança de atitudes. "A mudança de comportamento que queremos é ver o homem a olhar para a mulher como se fosse um ser humano e não um instrumento de prazer, um instrumento de resolver os seus problemas, quando se trata da rapariga, ou resolver os seus problemas no saneamento da pobreza dentro das próprias famílias", afirma.

A "LeMuSiCa" opera em cinco distritos da província de Manica, difundindo mensagens de sensibilização nas comunidades. A organização, com mais de 450 membros, cuida neste momento de 17 crianças.

Ouvir o áudio 02:48

Manica: Polícia apela à denúncia de abusos sexuais

"Temos recebidos casos de raparigas violadas sexualmente, outras forçadas a casamentos prematuros", afirma a responsável, acrescentando que "há meninas que vêm infetadas com HIV".

Nesta área da violência, a "LeMuSiCa" tem trabalhado em vários aspetos: "capacitamos, sensibilizamos, divulgamos e fazemos o acompanhamento das vítimas de violência a instâncias jurídicas e hospitalares", explica Anchia Camal Mulima Anaiva. Desde o início do ano, as autoridades de Manica receberam denúncias de dois casos de abusos sexuais. Os suspeitos estão detidos.

 

Leia mais