Malawi: Chakwera vence presidenciais com 60% dos votos, avança emissora local | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 26.06.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Malawi: Chakwera vence presidenciais com 60% dos votos, avança emissora local

No Malawi, ainda se contam os votos das presidenciais da última terça-feira (23.06). Mas a emissora pública local MBC avançou já a vitória de Lazarus Chakwera, a rondar os 60%. Ainda não há resultados oficiais.

Políticos da oposição nos países vizinhos já felicitaram Chakwera pela vitória, ainda não confirmada

Políticos da oposição nos países vizinhos já felicitaram Chakwera pela vitória, ainda não confirmada

Na manhã de quinta-feira (25.06), ainda sem resultados oficiais, já a oposição do Malawi reivindicava a vitória do seu candidato, Lazarus Chakwera, nas presidenciais. 

De acordo com a emissora pública local MBC, só falta contar os votos de três dos 28 distritos do país. A emissora avança a vitória de Lazarus Chakwera a rondar os 60%, mas ainda não há resultados oficiais.

Ao final do dia, a Comissão Eleitoral disse aos jornalistas que serão necessários mais dois dias para anunciar o resultado da repetição das eleições de maio de 2019.

"Estamos a tentar ser o mais minuciosos possível. Esperamos ter os resultados finais dentro de 36 a 48 horas", afirmou o presidente da Comissão Eleitoral, Chifundo Kachali.

Votação histórica

Esta foi a primeira vez que o Malawi repetiu eleições. Fraudes durante as votações levaram o Tribunal Constitucional a anular o escrutínio anterior, ganho por Peter Mutharika, o Presidente em exercício desde 2014. Mutharika acusou o Supremo Tribunal de "golpe de Estado judicial", garantindo que não ocorreram irregularidades.

A votação irregular deu lugar a uma onda de protestos violentos, algo raro no Malawi.

Assistir ao vídeo 03:10

Peter Mutharika: "Não podemos ajudar toda a gente"

Na terça-feira (23.06), depois de votar na capital, Chakwera disse aos seus apoiantes que não havia razão para recorrer à violência:

"Não há razão para recorrer à violência. Este é um país pacífico e todos precisamos de votar pacificamente. E precisamos todos de nos respeitar. E não precisamos de lutar. O voto em si é a luta de que necessitamos", exortou.

Combate à corrupção

Chakwera afirmou que, desta vez, acreditava numa eleição justa. O candidato fez do combate à corrupção um pilar central da campanha eleitoral.

"Penso que quero servir os malawianos com integridade e quero ser capaz de fazer do Malawi uma nação unida. E quero ser capaz de garantir que respeitamos o Estado de direito e somos capazes de lidar com o que nos empobreceu, que em certa medida é o roubo de fundos públicos e a corrupção."

Quem é Lazarus Chakwera?

Atualmente com 65 anos, o antigo pastor evangélico que presidiu a Assembleia de Deus do Malawi durante 24 anos, é doutorado em Teologia. O seu percurso académico passou pelo Malawi, África do Sul e Estados Unidos da América. 

Desde 2013 que lidera o Partido do Congresso do Malawi, que governou o país de 1964 a 1994 sob o punho de ferro de Hastings Banda. 

Políticos da oposição nos países vizinhos já felicitaram a Chakwera pela vitória, ainda não confirmada.