Israel e Hamas concordam com cessar-fogo em Gaza | NOTÍCIAS | DW | 20.05.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Israel e Hamas concordam com cessar-fogo em Gaza

Tanto o Gabinete de Segurança de Benjamin Netanyahu, como o porta-voz do movimento Hamas, confirmaram que uma trégua mútua entrará em vigor esta sexta-feira (21.05), após 11 dias de violência na Faixa de Gaza.

O governo do Primeiro Ministro Benjamin Netanyahu confirmou oficialmente, na noite desta quinta-feira (20.05), a trégua mediada pelo Egito.

"O Gabinete [de Segurança do primeiro-ministro israelita] aceitou unanimemente a recomendação de todos os oficiais de segurança (...) de aceitar a iniciativa egípcia de um cessar-fogo bilateral incondicional", dá conta um comunicado divulgado pelo Estado hebreu. 

Membros do Gabinete de Segurança israelense, incluindo o chefe do Estado-Maior e comandantes militares, concordaram em aceitar a proposta do Egito de fim das hostilidades após elogiarem o que consideravam "grandes realizações" de Israel na campanha militar em Gaza.

Poucas horas depois do anúncio israelita, também o grupo islâmico Hamas confirmou a trégua "mútua e simultânea" com Israel, que deverá ter início às 2 horas da madrugada desta sexta-feira (21.05).

"Obtivemos garantias dos mediadores de que a agressão contra Gaza vai parar", disse o porta-voz do movimento islâmico Hamas em Gaza, Hazem Qassem sobre o papel do Egito e da ONU na resolução do conflito.

Entretanto, e em declarações à Associated Press, Ali Barakeh, um oficial do Hamas disse que o cessar-fogo constitui uma derrota para Netanyahu e "uma vitória para a população palestiniana". 

Weltspiegel 20.05.2021 | Nahost Gaza / Israel

Confrontos começaram há 11 dias.

Contudo, o sentimento de alerta vai permanecer até que haja informações mais credíveis por parte dos mediadores deste conflito no Médio Oriente, que se arrasta há décadas. 

Cessar-fogo era "era expectável"

Os rumores sobre esta possível trégua ganharam força nas últimas horas, especialmente depois do primeiro-ministro israelita ter convocado na tarde desta quinta-feira (20.05) o Gabinete de Segurança para uma reunião. 

A pressão dos Estados Unidos da América (EUA) terá feito a diferença, que já tinham confirmado sinais "claramente encorajadores" no sentido de chegar ao cessar-fogo, explicitou a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki durante uma conferência de imprensa. 

O Presidente dos EUA, o democrata Joe Biden, pressionou publicamente o primeiro-ministro de Israel, na quarta-feira (19.05). Biden disse que esperava de Israel uma intenção real de interrupção do escalamento do conflito, mas Benjamin Netanyahu continuava a dizer que estava "determinado em continuar esta operação até atingir o objetivo". 

Já esta sexta-feira, o Presidente norte-americano agradeceu aos líderes egípcios por mediarem o acordo de paz.

Osama Hamdan, uma das principais figuras do Hamas, que está sediado no Líbano, também tinha dito que o cessar-fogo entre as duas fações era expectável em menos de dois dias. 

Assistir ao vídeo 05:31

Conflito no Médio Oriente: Aumentam os apelos para um cessar-fogo