Isabel dos Santos pode candidatar-se às eleições de 2022? | Angola | DW | 17.01.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Isabel dos Santos pode candidatar-se às eleições de 2022?

Filha do ex-Presidente José Eduardo dos Santos admitiu esta semana a possibilidade de ser candidata às eleições gerais de 2022. Constitucionalista não vê inconvenientes, mas ativista suspeita de possível "vingança".

Numa entrevista concedida à cadeia televisiva portuguesa RTP, na quarta-feira (15.01), a empresária angolana Isabel dos Santos deixou em aberto a possibilidade de se candidatar à Presidência da República nas eleições gerais de 2022.

Em declarações à DW África, o constitucionalista angolano Manuel Pinheiro diz que "não vê qualquer inconveniência". A dupla nacionalidade de Isabel dos Santos é o ponto que tem provocado mais polémica. Mas o jurista esclarece que o impedimento previsto na lei angolana não se coloca no seu caso porque a empresária tem cidadania originária de dois países: Angola e Rússia.

"Mesmo a própria Constituição proíbe a cidadania adquirida. Adquirida por naturalização, por adoção, por casamento ou por regularização extraordinária por prestação de serviços relevantes a qualquer país. Ela não se enquadra em nenhum destes casos. Ela é cidadã de origem angolana e é cidadã de origem ao que se diz de uma cidadã russa", explica.

Assistir ao vídeo 01:00

Estado angolano vs. Isabel dos Santos: Um processo que se adivinha longo

Os candidatos às eleições presidenciais em Angola devem ser os cabeça de lista de um partido ou coligação de partidos, de acordo com a lei.

Manuel Pinheiro não vê a possibilidade de Isabel dos Santos concorrer na lista do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), o partido no poder. Assim, segundo o jurista, caso reúna as condições, a multimilionária poderá concorrer por outra força política.

"Penso que está descartada qualquer possibilidade de ela ser a candidata do MPLA, uma vez que o MPLA já tem uma direção e tem um candidato [João Lourenço], que inclusivamente já manifestou a sua pretensão de se candidatar à sua sucessão em 2022", sublinha.

"Isabel dos Santos é uma fera ferida"

Porque pretende Isabel dos Santos candidatar-se ao cargo de Presidente da República de Angola? O ativista e investigador Nuno Álvaro Dala, do caso "15+2", aponta três cenários possíveis: a suposta cisão que se regista no seio do MPLA, dar continuidade ao legado do seu pai José Eduardo dos Santos e "um plano de vingança política que visa naturalmente fazer sentir toda uma vontade em conseguir o poder para promover transformações".

Depois do arresto das suas contas, lembra o ativista, "Isabel dos Santos é uma fera ferida".

Outra pergunta que se faz na sociedade angolana é se Isabel dos Santos terá aceitação popular em função da imagem do seu pai, associada a atos de corrupção e má gestão da coisa pública. Nuno Dala não tem dúvidas de que a empresária "partirá em desvantagem caso venha a candidatar-se".

"Ela é um exemplo acabado daquele processo que beneficiou um pequeno grupo que se enriqueceu de uma forma bastante violenta e, naturalmente pornográfica e imoral. Não existe autoridade moral nem ética em Isabel dos Santos, porque a sua riqueza foi construída à custa de todo um sacrifício de um povo", critica.

 

Leia mais