Inhambane: MDM acusa RENAMO de corromper os seus membros | NOTÍCIAS | DW | 26.07.2018

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Inhambane: MDM acusa RENAMO de corromper os seus membros

MDM diz que a RENAMO está a aliciar os seus militantes com dinheiro e promessas de cargos para ingressarem no maior partido da oposição. Em resposta, a RENAMO diz que as pessoas estão simplesmente a regressar a casa.

Membros que deixaram o MDM em Inhambane e passaram para a RENAMO.

Membros que deixaram o MDM em Inhambane e passaram para a RENAMO.

É um tema que tem marcado a atualidade em Moçambique: nas últimas semanas, o MDM viu algumas das suas figuras mais proeminentes abandonarem o partido para ingressarem na RENAMO.

O cenário repete-se em Inhambane, onde o MDM acusa a RENAMO de "namorar por baixo da mesa”, aliciando os membros do movimento a troco de dinheiro e cargos de topo para se filiarem no maior partido da oposição. E todos os dias se registam saídas, diz o MDM.

José Sinequinha, cabeça de lista para as eleições autárquicas no município da Maxixe e porta-voz do MDM, dá voz à denúncia do "namoro debaixo da mesa que a RENAMO está a fazer aos membros do MDM".

Sinequinha afirma que a RENAMO não tem qualidade para enfrentar as eleições de Outubro e, por isso, procura reforços no Movimento Democrático de Moçambique: "Estão fracos, não têm quadros de qualidade para enfrentar a batalha das autarquias, daí que vão ao MDM buscar quadros para se poderem reforçar", afirma.

José Sinequinha fala em imaturidade e interferência política e acusa a RENAMO de enfraquecer a democracia. "Se é pai da democracia, não faz sentido que enfraqueça os alicerces, porque neste momento a RENAMO está a ser padrasto da democracia", considera o dirigente do MDM.

Membros da RENAMO negam acusações

Ouvir o áudio 02:38

MDM acusa RENAMO de corromper os seus membros

Hidricio Rufino, um dos desertores do MDM que se encontra actualmente na RENAMO, garante que não foi aliciado em troca de benefícios. "Ninguém me pagou", garante, em entrevista à DW África. Saiu do movimento, explica, "porque há muitas coisas no país em que não estão a reagir como deve ser no país".

"Temos de receber sempre ordens da Beira para cumprir, nada disso nos faz bem", acrescenta.

Em resposta às acusações em Maxixe, o porta-voz da RENAMO ao nível nacional, António Muchanga, diz que os membros que estão a sair do Movimento Democrático de Moçambique estão apenas de regresso a casa, depois de terem sido enganados e ingressado no MDM.

"A RENAMO não tem dinheiro para andar a distribuir", diz Muchanga, em resposta às acusações de aliciamento.

"Quem meteu Daviz Simango [presidente do MDM] como presidente do município [da Beira] pela primeira vez foi a RENAMO. Quem meteu Lutero [Simango, chefe da bancada parlamentar do MDM] pela primeira vez na Assembleia da República foi a RENAMO", sublinha o porta-voz do maior partido da oposição. "Quem é que está a reclamar o regresso dos membros da RENAMO? Estão de regresso a casa as pessoas que tinham sido enganadas".

Leia mais