Inhambane: Candidatos à presidência intensificam caça ao voto | Moçambique | DW | 01.10.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Inhambane: Candidatos à presidência intensificam caça ao voto

A duas semanas das eleições, candidatos à presidência moçambicana divulgam manifestos eleitorais em Inhambane. A FRELIMO promete mais inclusão, a RENAMO, melhores profissionais de saúde e o MDM quer justiça para todos.

Campanha de Filipe Nyusi em Inhambane

Campanha de Filipe Nyusi em Inhambane

Como tem acontecido em todas as províncias moçambicanas, multiplicam-se as promessas eleitorais. O candidato da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO), Filipe Nyusi, que concorre à reeleição, esteve nos últimos dias em campanha nos distritos de Vilankulos, Massinga, cidade de Inhambane, Maxixe e Zavala.

Nos vários comícios realizados, Nyusi reforçou a ideia da inclusão de toda a sociedade nos benefícios provenientes da exploração dos recursos minerais e de outras oportunidades que o país possui. Mas acrescentou que para isso acontecer é preciso não haver discriminação.

"Oferecer oportunidades e acesso a bens e serviços a todos sem discriminação, sem ver para a cor partidária, a religião, as condições físicas, se estudou ou não estudou, qual é a etnia a que pertence. Isto não faz parte da filosofia da FRELIMO", disse.

Melhores condições de vida

Ossufo Momade, que concorre pela primeira através do maior partido da oposição, a Resistência Nacional de Moçambique (RENAMO), disse esta segunda-feira (23.09) que o seu manifesto eleitoral visa mais dar emprego aos jovens e criar melhores condições de atendimento, com profissionais da saúde qualificados a trabalhar nos hospitais públicos, de modo a não deixarem os doentes à sua sorte e que muitas vezes acabam perdendo a vida por falta de tratamento adequado.

Ouvir o áudio 03:20

Inhambane: Candidatos à presidência intensificam caça ao voto

"A RENAMO vai criar boas condições de vida, vai mudar a vossa situação financeira. Prometemos aqui que vamos poder ter médicos e enfermeiros que possam assistir da melhor forma os nossos pacientes", sublinhou Momade.

Daviz Simango, presidente do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), que foi impedido no sábado (21.09) de levar cabo a sua campanha em três distritos da província, apresentou em Maxixe o seu manifesto de caça ao voto. Promete acabar com a intolerância no sistema da justiça, porque muitos criminosos envolvidos na corrupção e roubos não são julgados pelos tribunais. "Queremos que a nossa justiça esteja livre dos partidos políticos", disse.

Na província de Inhambane, concorrem à Assembleia da República 25 partidos, mas a maioria ainda não saiu às ruas em campanha devido a limitações financeiras.



Leia mais

Áudios e vídeos relacionados