Guiné-Bissau vai adquirir produto tradicional de Madagáscar contra Covid-19 | Guiné-Bissau | DW | 27.04.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Guiné-Bissau

Guiné-Bissau vai adquirir produto tradicional de Madagáscar contra Covid-19

Presidente guineense anunciou a compra de chá fabricado em Madagáscar para o tratamento de infetados no país. Entretanto, não há comprovação científica da eficácia do produto no tratamento da Covid-19.

Estudantes em Madagáscar tomaram o chá como medida de prevenção à Covid-19

Estudantes em Madagáscar tomaram o chá como medida de prevenção à Covid-19

Em discurso à nação no domingo (26.04), o Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, disse que vai adquirir um produto à base de plantas medicinais, fabricado em Madagáscar, para combater o novo coronavírus no país.

O Presidente afirmou que já manteve contatos, por videoconferência, com o seu homólogo malgaxe, Andry Rajoelina, sobre a possibilidade de compra. 

Na semana passada, Andry Rajoelina apresentou publicamente um chá, batizado de "Covid-Organics", preparado à base de artemísia, uma planta utilizada no tratamento da malária e que na Guiné-Bissau é conhecida por 'nenebadaji' e outras ervas. 

Eficácia de plantas medicinais

Embora a eficácia da substância não tenha sido comprovada em laboratório, o líder malgaxe, que bebeu o chá na presença de jornalistas e embaixadores, defendeu que o uso da substância teria curado duas pessoas que estavam infetadas pela Covid-19. 

Assistir ao vídeo 01:20

Covid-19: Retrato da Guiné-Bissau em estado de emergência

Ao anunciar as diligências para a aquisição dos produtos, Umaro Sissoco Embaló exibiu para os jornalistas um trecho da videoconferência que manteve com Andry Rajoelina e da conversa ficou assente que é só a Guiné-Bissau mandar um avião a Madagáscar.

O Presidente guineense disse que, no mais tardar, até quarta-feira todas as diligências serão encetadas a partir de Bissau e indicou que outros países africanos já estão a adquirir as plantas medicinais para ajudar no tratamento contra o novo coronavírus. Segundo Umaro Sissoco Embaló, “o doente experimenta qualquer medicamento que o possa curar".

Durante o pronunciamento o Presidente ainda enalteceu a experiência de Madagáscar na produção de medicamentos a partir de ervas. 

"Madagáscar é um país conhecido na produção de plantas medicinais, desde a Segunda Guerra Mundial [...], hoje volta a demonstrar ao mundo que há possibilidade de curar esta doença", defendeu o presidente guineense. 

Assistir ao vídeo 00:52

Guiné-Bissau: Restrições para travar a Covid-19

Leia mais