Guiné-Bissau: ″Se Aristides Gomes sair da ONU corre o risco de ser assassinado″ | MEDIATECA | DW | 25.08.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

MEDIATECA

Guiné-Bissau: "Se Aristides Gomes sair da ONU corre o risco de ser assassinado"

O coletivo de advogados do antigo primeiro-ministro guineense, Aristides Gomes, disse que ainda não estão reunidas as condições para que o governante possa ser ouvido pelo Ministério Público sem que corra o risco de vida. Segundo os advogados, não há nenhum processo-crime contra Aristides Gomes, que está refugiado na sede das Nações Unidas em Bissau.

Assistir ao vídeo 02:44