Guiné-Bissau: Carlos Gomes Júnior apoia Umaro Sissoco Embaló na segunda volta | Guiné-Bissau | DW | 01.12.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: Carlos Gomes Júnior apoia Umaro Sissoco Embaló na segunda volta

O ex-presidente do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) Carlos Gomes Júnior anunciou o seu apoio, na segunda volta das presidenciais da Guiné-Bissau, ao candidato Umaro Sissoco Embaló.

Carlos Gomes Júnior (foto de arquivo)

Carlos Gomes Júnior (foto de arquivo)

O antigo primeiro-ministro guineense também participou como candidato na primeira volta das presidenciais, realizada a 24 de novembro, tendo obtido 2,66% dos votos. "O meu apoio é sem reservas e representa o meu desejo de ver a magistratura suprema entregue a alguém que pode unir os guineenses para os grandes desafios que nos esperam", afirmou no sábado (30.11) Cadogo, como é conhecido na Guiné-Bissau, durante a cerimónia de assinatura do acordo realizada numa unidade hoteleira de Bissau.

Segundo Carlos Gomes, a sua "consciência" guiou-o para "apostar em mais um jovem". "Umaro Sissoco Embaló é aquele que nas circunstâncias atuais melhor pode aglutinar sinergias para tirar o país da situação em que se encontra", salientou.

Na sua declaração, Carlos Gomes Júnior sublinhou a sua "profunda ligação ao PAIGC", partido que dirigiu durante 12 anos. "Para quem não sabe, durante sete anos estive longe do país e nenhum dirigente me contactou ou tentou saber como a minha família vivia", disse.

Em relação a Umaro Sissoco Embaló, Carlos Gomes Júnior afirmou que foi seu conselheiro político e foi a primeira pessoa que o pôs em contacto com vários líderes africanos. "Infelizmente só sabemos estragar e denegrir a imagem das pessoas", acrescentou.

O acordo de apoio político foi assinado entre Carlos Gomes Júnior e Braima Camará, em representação de Umaro Sissoco Embaló, que está fora do país, e é o coordenador nacional do Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15), partido criado a partir de um grupo de dissidentes do PAIGC.

"Não tenho dúvidas nenhuma de que hoje é um dia histórico. O apoio de Carlos Gomes Júnior é um apoio invejável. Qualquer candidato na Guiné-Bissau gostaria de ter este apoio", afirmou Braima Camará.

Questionado sobre se Umaro Sissocó Embaló também vai receber o apoio do Presidente cessante, José Mário Vaz, que também não passou à segunda volta, Braima Camará afirmou que as negociações "vão no bom caminho" e que o seu apoio vai tornara-se uma realidade.

A segunda volta das presidenciais da Guiné-Bissau, marcadas para 29 de dezembro, vão ser disputadas por Domingos Simões Pereira, apoiado pelo PAIGC, e por Umaro Sissoco Embaló.

Leia mais