Governo sem espaço para jovens na Nigéria | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 25.07.2019

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Governo sem espaço para jovens na Nigéria

Presidente Muhammadu Buhari apresentou uma lista de 43 nomes para o seu Executivo que está a causar polémica: tal como o número de membros, também a média de idades é elevada. Jovens lamentam ficar de fora.

Na Nigéria, quase dois meses depois da sua investidura para mais um mandato de quatro anos à frente do país, o Presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, apresentou, finalmente, na terça-feira (23.07), uma longa lista com 43 nomes para o seu Governo. As escolhas do chefe de Estado estão a causar polémica: além do número elevado de membros - mais sete que no mandato anterior – o Executivo é inclui apenas cinco mulheres e a média de idades dos membros do Governo está acima dos 40 anos.

Para os jovens nigerianos que há muito aguardam uma oportunidade para demonstrarem o seu talento na governação, o Executivo apresentado por Buhari é uma desilusão. O anúncio da lista gerou uma grande preocupação perante o que dizem a "não-implementação" da lei "Not too young to run" – em português, "Não demasiado jovem para concorrer" -  promulgada por Muhammadu Buhari no ano passado para eliminar o limite mínimo de idade para os jovens que pretendem candidatar-se a cargos públicos.

Ouvir o áudio 03:16

Governo sem espaço para jovens na Nigéria

Olhando para lista governamental, o jovem ativista Aliyu Dahiru considera que ficou provado que a Nigéria ainda não está preparada para explorar o potencial juvenil, "pessoas que têm energia, capacidade, que têm o poder de fazer  avançar o país". Para o activista, "quando se trata de desenvolvimento, os jovens estão sempre à frente, porque são pessoas destemidas, tudo está ao seu alcance".

O grande problema dos jovens da Nigéria continua a ser o desemprego. Sibawaihi Sambo, presidente da Associação dos Licenciados Desempregados do Norte da Nigéria, diz que não aceitável deixar os jovens fora das rédeas da governação e promete "aproveitar esta oportunidade para pedir ao governo federal que a lista seja reorganizada".

"Enquanto os jovens não forem incluídos, as políticas serão velhas", sublinha.

Nem todos pensam desta forma. Para o analista Rabiu Isah, de Kaduna, a exclusão dos mais jovens da lista de ministros poderá não afetar a governação: "Vimos no passado muitos líderes a fazerem o seu melhor, passam bem sem os jovens na sua administração. Acredito que Buhari pode sair-se bem sem jovens no seu Executivo".

Na próxima semana, a lista dos novos membros do Executivo, que conta com apenas 12 repetentes do mandato anterior, deverá ser analisada pelo Senado nigeriano.

Leia mais