FRELIMO condena ataque contra deputado em Maputo | Moçambique | DW | 12.07.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

FRELIMO condena ataque contra deputado em Maputo

Agostinho Vuma, presidente da principal confederação patronal moçambicana, foi baleado por indivíduos desconhecidos e tem quadro de saúde estável. Partido no poder descreve ataque como "ato cobarde".

Agostinho Vuma, empresário e deputado da FRELIMO

Agostinho Vuma, empresário e deputado da FRELIMO

A Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO) condenou o ataque contra o deputado Agostinho Vuma, membro do partido no poder, ocorrido este sábado (11.07) em Maputo, a capital moçambicana.

"Queremos condenar este ato cobarde", referiu Sérgio Pantie, chefe da bancada parlamentar da FRELIMO. "Esperamos que as autoridades possam esclarecer o quanto mais rápido possível este baleamento. O país não pode perdoar e permitir atos desta natureza", acrescentou. 

Agostinho Vuma é também presidente da Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA), a principal confederação patronal moçambicana.

O deputado de 44 anos foi intercetado por dois indivíduos armados no edifício do seu escritório, na Avenida Josina Machel, junto à baixa de Maputo, informou Leonel Muchina, porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM).

O empresário e político foi ferido com dois disparos, sendo de imediato levado ao Instituto do Coração, onde segue internado num quadro de saúde estável. Os atiradores, não identificados, saíram do edifício e fugiram num automóvel estacionado nas imediações, segundo testemunhas que estavam no local.

Investigações

O caso está a ser investigado pelo Serviço Nacional de Investigação Criminal (Sernic). Segundo o porta-voz do comando da PRM da cidade de Maputo, ainda não é possível adiantar eventuais motivos do crime. A polícia não tem registo formal de ameaças ao empresário.

Agostinho Vuma é membro fundador da Associação dos Empreiteiros da Cidade de Maputo, da qual foi presidente, e esteve depois na génese da Federação Moçambicana de Empreiteiros (FME).

É também deputado da FRELIMO na Assembleia da República de Moçambique, desde 2015, quando foi eleito pelo círculo eleitoral de Gaza, sul do país.

Leia mais