Fim da era Castro: Raúl Castro deixa liderança do Partido Comunista | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 16.04.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Fim da era Castro: Raúl Castro deixa liderança do Partido Comunista

Raúl Castro confirma a sua saída da chefia do Partido Comunista de Cuba. É o fim de uma longa era que começou com a revolução cubana, em 1959.

A saída de Raúl Castro, com 89 anos de idade, foi confirmada esta sexta-feira (16.04) pelo próprio na abertura do VIII Congresso do partido único cubano. Castro disse que deixa a liderança com um sentimento de "missão cumprida" e "confiança no futuro da pátria".

O ex-chefe de Estado do país e irmão do líder revolucionário Fidel Castro, que faleceu em novembro de 2016, não indicou quem apoia para a sua sucessão. No entanto, espera-se que a chefia do partido passe para as mãos de Miguel Diaz-Canel, o Presidente de Cuba desde 2018.

A mudança é vista com um misto de apreensão e expetativa face à atual situação do país. A pandemia da Covid-19 agravou as dificuldades económicas com que Cuba se deparava há décadas, além das restrições impostas pelo ex-Presidente norte-americano, Donald Trump.

Há escassez de alimentos, medicamentos e outros produtos básicos. Os cidadãos são obrigados a esperar em longas filas para comprar qualquer produto.

Ao discursar durante o Congresso do Partido Comunista em Havana, Castro garantiu que a nova geração de líderes tem plena "garra" e "espírito anti-imperialista".

"Acredito firmemente na força, natureza exemplar e compreensão dos meus compatriotas e, enquanto viver, estarei pronto com o pé nos estribos para defender a pátria, a revolução e o socialismo", afirmou Raúl Castro.

Assistir ao vídeo 02:55

Quando Otelo aconselhou Fidel Castro sobre Angola