Filipe Nyusi elogia ″colaboração″ da RENAMO | Moçambique | DW | 14.07.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Filipe Nyusi elogia "colaboração" da RENAMO

Este sábado (14.07), o Presidente moçambicano elogiou a "colaboração" do principal partido da oposição no diálogo para a paz, assinalando que o processo está a avançar rumo a um acordo final para a estabilidade.

Mosambik Trauerfeier Afonso Dhlakama in Beira (DW/A. Sebastiao)

Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique

"O diálogo está a avançar e a parte da liderança da RENAMO tem estado a colaborar", declarou o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, falando num comício no distrito de Machaze, província de Manica, centro de Moçambique, este sábado.

O chefe de Estado moçambicano enfatizou a importância do encontro que teve na quarta-feira (11.07) com o líder interino da Resistência Nacional Moçambicana, Ossufo Momade, defendendo que a reunião permitiu avanços no processo de paz.

"Irei continuar a conversar com o coordenador da RENAMO [Ossufo Momade]. Já tive dois encontros cara a cara com o coordenador e também realizei muitos contatos telefónicos, o que significa que o diálogo está avançar", destacou.

Filipe Nyusi realçou o imperativo de a atual liderança da RENAMO respeitar os compromissos assumidos pelo falecido líder do partido, Afonso Dhlakama, que morreu a 3 de maio deste ano.

Mosambik: Ossufo Momade, Chef der größten Oppositionspartei RENAMO (Getty Images/A. Barbier)

Ossufo Momade, coordenador interino da RENAMO

Avanços nas negociações

Afonso Dhlakama alcançou com Filipe Nyusi o entendimento que permitiu a revisão pontual da Constituição da República para o aprofundamento da descentralização do país.

O Presidente moçambicano e o coordenador interino da RENAMO acordaram na quarta-feira que o principal partido da oposição deve entregar, num prazo de dez dias, a lista dos oficiais do seu braço armado que pretende ver integrados nos postos de comando das Forças de Defesa e Segurança (FDS).

O principal partido da oposição impõe a presença dos seus oficiais nos lugares de chefia das FDS, como um dos pressupostos para uma paz durável no país.

Na sequência do entendimento entre Filipe Nyusi e Ossufo Momade,a Comissão Permanente da Assembleia da República agendou para a próxima semana uma sessão extraordinária para o debate da lei eleitoral, visando a realização das eleições autárquicas de 10 de outubro.

Leia mais