Ex-ministro dos Transportes de Moçambique e ex-presidente da LAM acusados de corrupção | NOTÍCIAS | DW | 20.07.2018

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Ex-ministro dos Transportes de Moçambique e ex-presidente da LAM acusados de corrupção

Tribunal Judicial da Cidade de Maputo acusou o ex-ministro dos Transportes Paulo Zucula e o ex-presidente da transportadora moçambicana José Viegas num processo por corrupção na compra de aviões da fabricante brasileira.

O tribunal decidiu levar o ministro dos Transportes e Comunicações Paulo Zucula a julgamento, aceitando a acusação que o Ministério Público imputa ao antigo governante por participação económica em negócio e branqueamento de capitais.

O ex-presidente da transportadora Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) José Viegas foi pronunciado por branqueamento de capitais.

O Notícias, diário de maior circulação no país, escreve esta sexta-feira (20.07) que o tribunal pronunciou ainda o ex-diretor da General Electrics em Moçambique, Mateus Zimba, no mesmo caso, por participação económica em negócio e branqueamento de capitais.

Os três réus aguardam a marcação da data do julgamento, permanecendo em liberdade após o pagamento de caução.

Paulo Zucula, José Viegas e Mateus Zimba são acusados de terem recebido subornos no valor de 800 mil dólares (686 mil euros) da fabricante brasileira "Embraer" na venda de aviões à LAM, entre 2008 e 2010.

Em fevereiro, o Ministério Público exigiu uma indemnização de mais de 900 mil dólares ao ex-ministro dos Transportes e aos dois altos gestores.

Leia mais