Etiópia: Novos ataques aéreos na região de Tigray | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 22.10.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Etiópia: Novos ataques aéreos na região de Tigray

Trata-se da quarta vaga de ataques contra a capital Mekele desde o início da semana. Esta sexta-feira, e devido aos ataques, um avião das Nações Unidas foi obrigado a abortar a sua aterragem na região.

As autoridades etíopes confirmaram, esta sexta-feira (22.10), que os seus militares voltaram a lançar ataques aéreos na capital regional de Tigray. Trata-se da quarta vaga de ataques aéreos a atingir Mekele desde segunda-feira.

Getachew Reda, porta-voz da Frente de Libertação do Povo de Tigray (TPLF), disse à agência de notícias Reuters que os ataques atingiram o complexo da Universidade de Mekele. No entanto, funcionários do Governo contradizem a afirmação, insistindo que os ataques aéreos têm como alvo os combatentes da TPLF que ainda controlam a cidade.

A Reuters não conseguiu confirmar nenhuma das versões de forma independente.

Ajuda humanitária suspensa

Também esta sexta-feira, e devido aos ataques aéreos, um avião das Nações Unidas terá sido obrigado a abortar a sua aterragem em Mekele.

Em declarações à agência Associated Press, o porta-voz do Governo etíope, Legesse Tulu, explicou que as autoridades estavam cientes de que o voo da ONU estava na área, mas alegou que os voos militares tinham "um horário e direção diferentes".

Äthiopien Mekele | Flugzeug wird mit Hilfsgüter beladen

Devido aos ataques aéreos, um avião das Nações Unidas não conseguiu aterrar em Mekele

Após o sucedido, informou o porta-voz das Nações Unidas, Stephane Dujarric, todos os voos da ONU para Mekele foram suspensos. 

Legesse Tulu já havia afirmado anteriormente às agências que os ataques aéreos em curso visavam atingir "instalações que a TPLF transformou em locais de fabrico e manutenção de armas".

No entanto, a TigraiTV, uma estação de televisão regional controlada pela TPLF, relatou que os ataques aéreos no início da semana atingiram uma área residencial e causaram várias vítimas civis.

Internet bloqueada

É difícil verificar as alegações sobre o que está a acontecer em Tigray porque a região está sob um "blackout" de comunicações.

"Pouco se sabe da região norte através dos meios de comunicação social ou das redes sociais porque não há acesso à Internet nessa área", disse à DW a jornalista Coletta Wanjohi, que se encontra em Addis Abeba. Segundo a mesma profissional, muita da informação que está a circular chega de pessoas que "não estão no terreno".

"O Governo quer passar uma mensagem forte e de confiança aos cidadãos de que está a ganhar a guerra e estamos a ver isso. Vemos o porta-voz do Governo a falar de tempos em tempos", nota Wanjohi.

Conflito em Amhara

A luta também se intensificou na região vizinha de Amhara, onde a TPLF conquistou território que o Governo e os grupos armados aliados estão a tentar recuperar.

Desde o início do conflito na região de Tigray, em novembro de 2020, milhares de pessoas foram mortas e mais de dois milhões encontram-se deslocadas. 

Assistir ao vídeo 02:13

Tigray: Centenas de mulheres violadas por militares

Leia mais