Etíope na Alemanha sonha com a maratona | MEDIATECA | DW | 30.08.2013

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

MEDIATECA

Etíope na Alemanha sonha com a maratona

Correr é a vida do etíope Amanal Petros. Depois de requerer asilo na Alemanha, há um ano que o melhor corredor de 3 mil metros do país treina na associação desportiva da cidade de Bielefeld. O seu sonho: a maratona.

Ouvir o áudio 03:06

Amanal Petros tinha 16 anos quando fugiu da Etiópia e requereu asilo na Alemanha. Há um ano que treina na associação desportiva da cidade de Bielefeld. O atleta está à espera de ver o seu requerimento a asilo aprovado para regressar à escola e fazer um curso universitário. Mas o seu grande sonho é a maratona.

O jovem etíope treina sempre que pode, seja na floresta ou no campo de desporto. O que importa é correr, assim como o seu grande ídolo e conterrâneo, Haile Gebreselassie. É este exemplo que Amanal Petros segue nos seus treinos que começaram há um ano na associação desportiva de Bielefeld TSVE. O treinador, Gerd Grundmann, está convencido do talento do jovem de 18 anos.

"Para a média local ele é muito bom, e está entre os melhores a nível nacional", afirma. "Na sua faixa etária é o terceiro mais rápido nos 3 mil e ainda tem muito potencial".

Entre a corrida e as saudades da Etiópia

Já na Etiópia Amanal Petros corria. O seu treino era o caminho para a escola, todos os dias 10 quilómetros. O africano pediu asilo na Alemanha, à qual chegou sozinho, sem família, aos 16 anos, fugido de uma Etiópia pobre e cheia de problemas políticos. Juntamente com outros refugiados aprende agora alemão em Bielefeld. E não esconde as suas dificuldades com a gramática, afirmando que "no início era um pouco complicado com o dativo e acusativo e os artigos todos. Era estranho porque não era como no inglês, inglês é mais fácil do que alemão".

Amanal Petros cresceu no norte da Etiópia, onde vivia com a sua mãe e duas irmãs. Quando estabeleceu contacto com um grupo da oposição, a situação tornou-se difícil para ele e para a família. Por isso fugiu precipitadamente para a Alemanha, mas só consegui voltar a contactar a mãe meses mais tarde. E se é verdade que se sente bem na Alemanha, as saudades da família são muito grandes. "Tenho contacto com a família", diz Petros. "Eles não têm internet, ou assim, mas eu ligo sempre por telefone, duas ou três vezes por mês, o que é muito bom".

Rumo à maratona

No seu pequeno apartamento, é ele que trata de tudo. Ao princípio estranhou bastante, porque na sua terra os homens nunca fazem nada em casa. "A minha mãe cozinha sempre e eu fico a olhar mas não faço nada. Por isso não tenho muita experiência. Mas na Alemanha a mulher e o homem são iguais, os dois podem cozinhar".

Mas a sua grande preocupação é o pedido de asilo, ao qual ainda não tem resposta, depois de ano e meio de espera. Amanal Petros tem esperanças de poder ficar. O jovem quer estudar e, claro, correr, na Alemanha. Já ganhou várias corridas neste país. Os seus grandes objectivos são a meia-maratona e a maratona.

"Correr é muito importante na minha vida. O desporto é saudável e para mim , o desporto é o máximo".