Empresas públicas de Cabo Verde têm mais dez milhões dólares do Banco Mundial | NOTÍCIAS | DW | 19.06.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Empresas públicas de Cabo Verde têm mais dez milhões dólares do Banco Mundial

O Banco Mundial aprovou um financiamento adicional de dez milhões de dólares (8,4 milhões de euros) para apoiar a agenda de reestruturação e privatização de empresas públicas de Cabo Verde, anunciou hoje a instituição.

Zentrale Weltbank Washington D.C.

Sede do Banco Mundial nos EUA (foto de arquivo).

Em comunicado neste sábado (19.06), o Banco Mundial refere que o financiamento, aprovado ontem pelo seu conselho de administração, visa "aumentar e expandir as atividades para reforçar a gestão fiscal" relacionadas com o setor empresarial do Estado e que se trata de apoio adicional ao projeto de 20 milhões de dólares (16,8 milhões de euros), em vigor desde outubro de 2018 com as autoridades de Cabo Verde.

"Apoiará a agenda governamental de reestruturação e privatização das empresas públicas, promoverá o Investimento Direto Estrangeiro no setor das SOE [empresas detidas pelo Estado] e encorajará as reformas no setor da habitação", acrescenta o comunicado, sublinhando que este apoio adicional é ainda justificado com a crise provocada pela pandemia de Covid-19 nas empresas estatais do arquipélago.

Desempenho financeiro

"A crise teve um impacto negativo no desempenho financeiro do setor SOE, que já era considerado fraco. É crucial aprofundar o apoio ao setor para reduzir os riscos fiscais e manter a sustentabilidade da dívida [pública], que é significativamente posta em causa, e apoiar a recuperação económica pós-pandémica, reforçando a competitividade e melhorando a prestação de serviços", explica, citada no comunicado, a representante residente do Banco Mundial em Cabo Verde, Eneida Fernandes.

Afrika I Infrastruktur und Alltagsleben in Kap Verde

Palácio do Governo em Cabo Verde.

O setor empresarial do Estado em Cabo Verde integra 23 empresas, que fornecem serviços públicos essenciais, incluindo áreas economicamente estratégicas como os transportes, eletricidade, habitação e serviços financeiros, recorda o Banco Mundial.

O Projeto de Gestão Fiscal das Empresas Públicas já permitiu apoiar a privatização da companhia aérea nacional (Transportes Aéreos de Cabo Verde), desde março de 2019 liderada (51%) por investidores islandeses, bom como proporcionou o início do "reforço da capacidade do Ministério das Finanças no controlo do risco fiscal do setor das empresas públicas".

Gestão Fiscal

O quadro de cooperação entre o Banco Mundial e Cabo Verde para o período de 2020 reconhece a importância de reforçar a gestão fiscal no arquipélago e inclui "o apoio à adoção de um forte programa de consolidação fiscal para conter o crescente endividamento" do país, que já se encontra acima de 150% do Produto Interno Bruto (PIB).

"O endividamento significativo do setor das empresas públicas também se tornou uma fonte significativa de riscos fiscais, exacerbando assim as vulnerabilidades a médio prazo. Consequentemente, acelerar e aprofundar o processo de gestão do risco fiscal requer reformas urgentes no setor das empresas públicas, apoiadas pelo reforço institucional da gestão macroeconómica e da supervisão" destas empresas, aponta o Banco Mundial.

Cabo Verde enfrenta uma profunda crise económica decorrente da ausência de turismo desde março de 2020, devido à pandemia de Covid-19, setor que garante 25% do PIB do país e registou uma recessão económica histórica de 14,8% no ano passado.

Assistir ao vídeo 03:28

Cabo Verde: Site ajuda jovens a encontrar emprego