Eleições em Moçambique: Partidos apostam fortemente na fiscalização eleitoral | NOTÍCIAS | DW | 13.09.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Província a Província

Eleições em Moçambique: Partidos apostam fortemente na fiscalização eleitoral

RENAMO fala em mais de mil delegados em formação para supervisionar a votação e o apuramento parcial dos resultados. MDM aposta em trabalho psicológico dos "mmvs" para evitar intimidações e aliciamentos.

Mosambik Afrika Wahlen Wähler Wahlstand Urne (Arcénio Sebastião)

Foto de arquivo

Em processos eleitorais anteriores, incluindo as eleições autárquicas do ano passado, a RENAMO não conseguiu recrutar delegados de listas, nem cidadãos para integrar as mesas de votação.

Mouzinho Gondorujo, cabeça de lista da RENAMO para eleição da Assembleia provincial, afirma que as pessoas eram intimidadas, aliciadas para desistirem da supervisão e, por vezes, detidas sem justa causa.

Mas agora, ele nota, no seio dos cidadãos, o elevar da consciência política e o cansaço pela governação que não responde aos anseios da população, em particular dos jovens.

Mosambik Gaza Provinz Mouzinho Gondorujo (DW/C. Matsinhe)

Mouzinho Gondorujo (centro)

"Todos os distritos extrapolaram o recrutamento dos "mmvs" (membros das mesas de votação), caso que não aconteceu no escrutínio passado. [Isto] já é um passo para evitar que aqueles eleitores que são fantasma possam ter direito a voto quando não tivermos a nossa representação na mesa. O que vai acontecer, obviamente, é [o] enchimento das urnas com todo este aparato de organização. Pensamos que vamos evitar o pior ".

Fiscalização pela sociedade civil

Gondorujo acrescenta ainda que a sociedade civil deve fazer parte da fiscalização eleitoral, não deixando apenas sob responsabilidade da RENAMO.

O Delegado do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), Arquerdino Mavie, diz que o seu partido já submeteu a lista de representação nas mesas de voto e que estão a fazer um trabalho psicológico com os membros, apesar de reconhecer as dificuldades decorrentes da intimidação e aliciamento.

Mosambik Gaza Provinz Arquedino Mavie MDM Mitglied (DW/C. Matsinhe)

Arquedino Mavie

"Desta vez por mais que tragam sacos de dinheiro para aliciar os nossos delegados de candidatura, não vai ser possível. Estamos a prepara-los psicologicamente para que eles vão às mesas de votação a saber o que é que estão lá a defender, que não pode apenas estar a pensar no próprio umbigo, mas sim na vida difícil que os moçambicanos estão a enfrentar. "

Dados estatísticos

Entretanto, dados estatísticos publicados pelo Centro de Integridade pública (CIP) -  em análise feita pelo estatístico Wim Neeleman - indicam que, o número de assembleias de voto em Gaza duplicou. Para as eleições de 15 de outubro, o número de assembleias de voto em Gaza aumentou 81% desde 2014. Muito mais do que o aumento da população nos últimos cinco anos.

Ouvir o áudio 02:56

Eleições em Moçambique: Partidos apostam fortemente na fiscalização eleitoral

Seis províncias aumentaram de 15 a 20%, de acordo com o aumento da população observado no censo de 2017. A província de Maputo mostra um aumento de 34%, de acordo com o censo, refletindo a grande migração para a Matola. A cidade de Maputo mostra uma queda de 1%, novamente de acordo com o censo.

E somente Gaza mostra um aumento enorme e impossível no número de assembleias de voto, não-alinhado com o censo da população. Também foi observado que mais de 10.000 eleitores foram removidos do registo na Zambézia e outros 2.000 foram adicionados ao já inflado rol de Gaza.

 

 

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados