′Doing Business′ mostra novo recorde na África subsaariana com 107 novas reformas | NOTÍCIAS | DW | 31.10.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

'Doing Business' mostra novo recorde na África subsaariana com 107 novas reformas

Economias da África subsaariana bateram novo recorde no número de reformas implementadas, chegando a 107, de acordo com um relatório do Banco Mundial.

 De acordo com o relatório deste ano do Banco Mundial (BM) sobre a facilidade de fazer negócios (Doing Business), as economias da África subsaariana bateram um novo recorde relativamente ao número de reformas implementadas, chegando a 107 reformas.

"As economias da África subsaariana registaram um novo recorde pelo terceiro ano consecutivo, ao implementarem 107 reformas neste ano destinadas a aumentar a facilidade de se fazer negócios para pequenas e médias empresas nacionais", lê-se no comunicado de imprensa sobre esta região africana.

"As últimas reformas representaram um aumento significativo relativamente às 83 reformas implementadas na região no ano anterior", acrescenta-se no documento, que dá ainda conta de que "neste ano verificou-se o número mais elevado de economias com pelo menos uma reforma deste a criação do relatório, com reformas registadas em 40 das 48 economias da região". 

37 economias reformadoras no recorde anterior

O último recorde, de 37 economias reformadoras, tinha sido alcançado há dois anos, segundo o Banco Mundial, que acrescenta que "quatro das economias da região conquistaram posições cobiçadas na lista das dez economias com mais melhorias no ambiente de negócios: Togo, Quénia, Costa do Marfim e o Ruanda". 

Symbolbild Weltbank Logo und Afrika Karte (AP/DW)

As Ilhas Maurícias, no 20º lugar do ranking, são o país africano mais bem classificado no ranking que analisa a facilidade com que as empresas privadas conseguem operar.

A nível mundial, a lista dos países mais fáceis para os empresários é liderada pela Nova Zelândia, Singapura e Dinamarca, que ocupam as posições cimeiras pelo segundo ano consecutivo.

No comunicado de imprensa que acompanha a divulgação do relatório, disponível no site do Banco Mundial, lê-se que houve um novo recorde nos esforços de redução da burocracia para o setor privado, com 314 novas reformas empresariais a nível mundial no último ano.

"Realizadas em 128 economias, estas reformas beneficiaram pequenas e médias empresas e também novos empreendedores, possibilitando a criação de empregos e estimulando os investimentos privados", diz o comunicado, salientando ainda que "o número de reformas deste ano superou o recorde anterior de 290 reformas, estabelecido há dois anos".

Posição dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) no ranking

..............................:2017......2018.....2019  

Angola.....................182.......175........173   

Cabo Verde...........:129..... 127.........131   

Guiné-Bissau..........172.....176........175

Moçambique............136..... 137........135   

São Tomé Príncipe..162.....169........170   

Leia mais