Dabó orgulhoso por ter colocado nome da Guiné-Bissau na ″boca do mundo″ | Guiné-Bissau | DW | 08.10.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Guiné-Bissau

Dabó orgulhoso por ter colocado nome da Guiné-Bissau na "boca do mundo"

O feito do atleta aumenta procura sobre a Guiné-Bissau em todo mundo. Dabó ficou famoso e orgulhoso do gesto que encantou o universo. Governo guineense anuncia homenagem ao atleta nomeado para o prémio "Fair-Play 2019".

Leichtathletik-WM Doha 2019 | Guinea-Bissaus Braima Suncar Dabo hilft Arubas Jonathan Busby, das Rennen zu beenden (Reuters/K. Pfaffenbach )

Brima Dabó a ajudar o atleta Jonathan Busby

Continua a correr o mundo aquela imagem de um atleta de 26 anos de idade com a bandeira da Guiné-Bissau colada no lado esquerdo do peito. Braima Dabó é nome destacado em todo mundo por ter abdicado do seu sonho na pista de corrida para dar ajuda ao companheiro a chegar à meta. Quando faltavam 250 metros do fim da eliminatória dos 5.000 metros no Campeonato do Mundo de atletismo, disputado no passado dia 3 de outubro no Qatar, o mundo conheceu o que é hoje apelidado de "herói improvável".

"Não esperava tanto impacto que acabou por ganhar. Aquilo que fiz foi espontâneo, não estive a pensar no que devia fazer. Se era correto ou não. Simplesmente dei ajuda que o amigo Jonathan Busby precisava”, disse o guineense entrevista concedida esta terça-feira, (08.10).

Jonathan Busby, atleta de Aruba, sentiu-se mal na pista do Estádio Internacional Khalifa, em Doha, e de repente recebeu uma força extra de um adversário guineense. O seu gesto do Braima de ajudar um companheiro a manter-se em pé na eliminatória teve repercussão à escala mundial.

Leichtathlethik WM Doha 2019 Suncar Dabo hilft Jonathan Busby

Braima Dabó ajudando o Jonathan Busby no Mundial de Atletismo no Qatar.

"Já ele estava com uma posição incorreta de correr... já estava andar torto inclinado de lado. Cheguei e disse-lhe vamos embora, vamos conseguir. Empurrei-o depois de ter dado sinais de quebra física e dificuldades em manter-se de pé.

Atleta sem patrocínio

Braima Dabó foi para o Campeonato de Mundo com o rótulo de atleta menos cotado, sem nenhum patrocínio ou uma marca que lhe desse a projeção nesse evento desportivo mundial. Mas saiu de Doha, capital do Qatar, como o atleta mais mediático da competição. Aquele momento histórico mudou por completo a sua vida e colocou a Guiné-Bissau nos media do mundo inteiro.

"Tenho a caixa de mensagens cheia, o meu Facebook está cheio de pedidos de amizades e ainda não paro de dar entrevistas à imprensa de todo mundo, o que me dá a noção do impacto que o meu gesto teve. Fico orgulhoso porque as pessoas estão a querer saber onde fica a Guiné-Bissau no mapa e querem saber muito mais sobre o meu país”, afirmou.

Ouvir o áudio 03:22

Dabó orgulhoso por ter colocado nome da Guiné-Bissau na boca do mundo

Na entrevista concedida à DW África, o atleta guineense que vive em Bragança desde 2011, reconhece que não tinha chances para ganhar medalhas na competição por ter participado através de um convite. Doravante, o dia-a-dia de Braima Dabó nas pistas desde 2016, anda cheio de novidades. Ele é um dos quatro nomeados para o prémio Fair-Play 2019, dos Mundiais de atletismo, de acordo com a lista divulgada esta segunda-feira pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF). Nas próximas semanas, os adeptos podem escolher e, juntamente com o comité internacional de 'fair play' da IAAF os três finalistas. O vencedor do prémio será anunciado a 23 de novembro, numa gala da IAAF, a ter lugar no Mónaco, na França.

Momento único

"É um orgulho enorme para mim. Já bastava ir para uma competição daquela dimensão mundial, com atletas selecionados pelas marcas que eles têm. No meu caso, fui lá através de um convite, o que significa que não tinha como ganhar uma medalha. Mas só queria projetar a bandeira do meu país e no final, consegui ajudar um amigo”, reagia à DW ao momento único que vive em todo mundo.

Braima Dabo Athlet aus Guinea

Guineenses vibraram com o feito inédito de Dabó.

Dabó, chegou a Portugal através de um concurso de bolsa de estudo concedida por uma ONG, em Catió, no sul da Guiné-Bissau. Atualmente, representa o clube de Bragança Atlético da Maia, treinado por José Regalo. O gesto do atleta gerou grande entusiasmo no seio dos seus compatriotas, tendo o Governo guineense anunciado, pela voz de Dionísio Pereira, secretário de Estado dos Desportos, que Braima Dabó será homenageado oportunamente em Bissau.

"É com satisfação que assistimos o feito do atleta que demonstrou o que é a essência do desporto. Porque o desporto não é só ganhar, mas também tem todo aspeto da solidariedade. O Governo está a preparar uma forma de homenagear o atleta Braima Dabó, no seu próprio país, ao lado do seu povo”, afirmou à DW o jovem dirigente do novo Governo da Guiné-Bissau.

Natural de Catió, capital da região de Tombali, Braima Dabó pretende agora concluir a licenciatura em Gestão no Instituto Politécnico de Bragança e "matar as saudades da família, que já não vê há oito anos", sem descurar o rendimento na pista. "Conto estar outras vezes nos Mundiais e ter uma marca que me permita competir, em vez de ter só aquele objetivo de terminar a prova e bater o recorde pessoal", fixou.

Assistir ao vídeo 01:23

Divisão étnica e religiosa? Bispo lembra aos guineenses que são membros da mesma família

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados