Cristiano Ronaldo fora da seleção portuguesa até 2019 | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 04.10.2018

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Cristiano Ronaldo fora da seleção portuguesa até 2019

A decisão foi tomada entre o jogador, o selecionador Fernando Santos e o presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes. CR7 está a ser acusado de violação sexual por uma modelo norte-americana.

Cristiano Ronaldo não voltará a jogar pela Seleção de Portugal em 2018. A decisão surgiu após uma reunião com o presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, e o selecionador nacional, Fernando Santos, ficando acordado que o capitão da equipa das quinas só jogará novamente por Portugal em 2019.

Solidariedade e apoio total

No âmbito da conferência de imprensa para a convocatória dos próximos compromissos internacionais, Fernando Santos, selecionador dos campeões europeus, confirmou a ausência de Ronaldo até 2019.

FIFA Fußball-WM 2018 | Achtelfinale | Uruguay vs. Portugal | Fernando Santos

Selecionador português Fernando Santos

"Houve uma conversa com o jogador, o presidente da federação e o selecionador. Concordámos que o jogador não estaria nestas duas convocatórias, nesta e na próxima, em novembro", revelou.

Abordado pela comunicação social sobre a denúncia por alegada violação feita por uma norte-americana contra o internacional luso, o "engenheiro" reforçou o apoio a Ronaldo.

"Apoio sempre os meus jogadores e aqui nem é uma questão de solidariedade, acredito no que o jogador disse publicamente, ele considera a violação um ato abjeto e claramente reafirma que está inocente daquilo que é acusado. Conheço bem o Cristiano e acredito plenamente que não cometeria um crime desse tipo", concluiu Fernando Santos.

Quem também fez questão de mostrar solidariedade e apoio público a Cristiano Ronaldo foi o presidente da FPF. Fernando Gomes anuncia-se como "testemunha do seu bom caráter".

UEFA Sitzung vor Entscheidung über EM-Gastgeber 2024

Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol

"Em meu nome e em nome da Federação Portuguesa de Futebol expresso total solidariedade ao Cristiano Ronaldo, numa altura em que o seu bom nome e reputação estão a ser postos em causa. Acredito nas palavras que ele emitiu ontem [quarta-feira], não só porque defendo a presunção de inocência como princípio basilar de um estado de direito, mas também porque conheço o Ronaldo há muitos anos e sou testemunha do seu bom caráter", afirmou em declarações à agência Lusa.

Acusações

Cristiano Ronaldo foi recentemente acusado pela norte-americana Kathryn Mayorga. A modelo acusa judicialmente o jogador da Juventus dos seguintes crimes: violação sexual, coação para fraude, tentativa de assédio sexual, agressão a uma pessoa vulnerável, conspiração, difamação, abuso de processo, tentativa de concretizar um acordo de não divulgação, negligência e violação de contrato.

As autoridades norte-americanas confirmaram esta semana a reabertura do processo em que Kathryn Mayorga acusa Cristiano Ronaldo de a ter violado num hotel em Las Vegas, em 2009.

O craque português, através das redes sociais, negou "terminantemente as acusações" de que é alvo, pois considera a "violação um crime abjeto, contrário a tudo" o que é e acredita. Acrescentou ainda que não irá "alimentar o espetáculo mediático montado por quem se quer promover" à sua custa.