CPLP: Os discursos da cimeira do Sal | Cabo Verde | DW | 18.07.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cabo Verde

CPLP: Os discursos da cimeira do Sal

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa tem mesmo de avançar no domínio da mobilidade. Foi a tónica dominante nos discursos dos líderes lusófonos na abertura do encontro em Cabo Verde. Até Obiang falou em português.

Foto de família dos líderes da CPLP

Foto de família dos líderes da CPLP

No dia do 22º. aniversário da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), o Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, deu as boas-vindas aos dirigentes que participam na cimeira do Sal.

A sessão de abertura da cimeira foi presidida pelo chefe de Estado do Brasil, Michel Temer, que fez o balanço dos dois anos da presidência brasileira. "Tivemos a satisfação de sedear no Brasil diversas reuniões com delegações dos países da CPLP. Na área da segurança alimentar e nutricional reforçamos a articulação. Também na área da saúde nós tivemos avanços significativos", concluiu Michel Temer, antes de passar o testemunho ao seu homólogo cabo-verdiano.

Assumida a presidência, Jorge Carlos Fonseca reafirmou um velho desejo e objetivo de Cabo Verde: progresso no capítulo da mobilidade, um dos maiores desafios da CPLP. "Espero que durante esta Cimeira se possa obter avanços significativos. A tarefa é muito difícil, no entanto, o nosso dever é tudo fazer para que um dia possamos livremente deslocarmos neste espaço que é comum", sublinhou.

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, instou os Estados-membros a adotarem o Estatuto do Cidadão da CPLP: "É tempo de concretizarmos o acordo relativo aos vistos de múltiplas entradas rubricado em Brasília em 2002."

Angola já aboliu vistos

O Presidente de Angola, João Lourenço, mencionou os passos que o seu país está a dar no domínio da mobilidade. "Angola deu já alguns passos e aboliu, por exemplo, os vistos em passaportes ordinários com Cabo Verde e Moçambique e simplificou o processo de aquisição de vistos para os cidadãos dos restantes Estados-membros."

Ouvir o áudio 04:26

Os discursos da cimeira do Sal

Discurso quase idêntico teve o Presidente são-tomense. "São Tomé e Príncipe alcançou dois grandes progressos nesta matéria: a isenção de vistos por um período de 15 dias aos cidadãos dos países-membros da CPLP, bem como a atribuição da nacionalidade santomense a todos os cidadãos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa que se encontravam no país a 12 de julho de 1975, data da proclamação da Independência Nacional ", informou Evaristo de Carvalho.

A questão da mobilidade também não passou de lado no discurso do Presidente português. "Temos e podemos fazer ainda mais e melhor, temos de olhar mais para as pessoas, para o seu estatuto, para os seus problemas concretos, olhar mais para a mobilidade pessoal, social, económica, empresarial e financeira ", desafiou Marcelo Rebelo de Sousa.

Obiang discursa em português

O Presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema, mostrou que está a aprender o português e foi na língua de Camões que discursou para assegurar que o seu país está a cumprir o roteiro estabelecido com a CPLP. "Após quatro anos da nossa admissão à CPLP, o roteiro da nossa integração tem sido seguido de forma paulatina e segura", disse.

O Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, afirmou que o diálogo em curso com a Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) deverá conduzir a uma paz duradoura no país. "Estamos confiantes que o diálogo que mantemos poderá trazer uma paz efetiva e duradoura, apesar dos receios iniciais devido ao desaparecimento físico daquele que foi o principal interlocutor com o nosso Governo, o senhor Afonso Dhlakama, líder da RENAMO, o maior partido da oposição".

Cabo Verde assumiu a presidência da CPLP por um período de dois anos, tendo como lema "Cultura, Pessoas e Oceanos".

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados