Covid-19: Vários países africanos ultrapassarão 10 mil casos | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 02.04.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Covid-19: Vários países africanos ultrapassarão 10 mil casos

A previsão é do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana, que alerta a população para levar o distanciamento social a sério. Continente está a alguns dias de atingir um pico da doença.

John Nkengasong, diretor do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana

John Nkengasong, diretor do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana

Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (CDC África) estima que alguns países no continente africano vão ultrapassar os 10 mil casos da Covid-19 até ao final de abril. O anúncio foi feito esta quinta-feira (02.04) pelo diretor do CDC África, John Nkengasong.

O novo coronavírus infetou 6.213 pessoas em 49 países do continente africano e matou 221 doentes, segundo o último balanço do CDC África. Os países onde o número de infeções é já na ordem das centenas são Argélia, Burkina Faso, Camarões, Costa do Marfim, República Democrática do Congo, Egito, Gana, Maurícias, Marrocos, Senegal, África do Sul e Tunísia. Em todos os PALOP foram contabilizadas 32 infeções.

"Projetamos que, no final de abril, vamos começar a ver países a ultrapassarem a marca das 10 mil infeções", disse Nkengasong em Adis Abeba ao assinalar que as infeções estão a crescer de forma "brusca" e "consistente".

Assistir ao vídeo 02:32

Moçambique: Professor sai às ruas para sensibilizar pessoas contra Covid-19

"Sempre dissemos que África ainda está a testemunhar a madrugada da pandemia. Teremos um pico, mas não consigo dizer se dentro de duas semanas ou uma semana ou menos, porque há muitos fatores que podem determinar isso. África não é um país, mas um continente e vamos ver vários países a terem o seu pico em níveis diferentes", acrescentou John Nkengasong.

O diretor da CDC África considera que "é apenas uma questão de tempo" até a doença se instalar nas comunidades e provocar "uma explosão de infeções". Segundo John Nkengasong, quase metade dos países está já a reportar casos de transmissão local da doença, sublinhando a importância de levar a sério as medidas de higiene, distanciamento social, quarentena ou recolher obrigatório que muitos países estão a adotar.

"Levem o distanciamento social a sério"

"Devemos encorajar e levar o distanciamento social a sério, particularmente neste período em que os países estão a fechar as suas capitais e outras grandes cidades. Devemos colaborar com as autoridades para que estas medidas possam ser implementadas", afirmou John Nkengasong, apelando à cooperação das populações.

Assistir ao vídeo 01:02

Mitos e verdades sobre a Covid-19

Uma rede de instituições públicas de saúde dos Estados-membros da União Africana, a "Task Force Covid-19", foi formada para prestar apoio técnico remoto aos governos em questões como o diagnóstico laboratorial, monitorização, prevenção e controlo da doença.

O África CDC distribuiu também 40 mil testes em 30 países e, em breve, vai distribuir mais 10 mil, uma doação do Governo da China.

O norte de África mantém-se como a região mais afetada pela doença com 2.587 casos, 147 mortes e 286 doentes recuperados. Até ao momento, os únicos países sem casos da Covid-19 são São Tomé e Príncipe, Sudão do Sul, Comores, República Sarauí, Lesoto e Malawi. Assim, São Tomé e Príncipe é o único país lusófono sem qualquer caso confirmado.

Leia mais