Covid-19: Situação na Guiné-Bissau está ″grave″ | Guiné-Bissau | DW | 22.02.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Guiné-Bissau

Covid-19: Situação na Guiné-Bissau está "grave"

Alta-comissária guineense para a Covid-19 diz que a Guiné-Bissau enfrenta "situação alarmante". E alerta para a curva de infeções pelo novo coronavírus que continua a subir no país.

"A situação epidemiológica está grave. A Guiné-Bissau é o país da África Ocidental que, neste momento, tem situação alarmante. A nossa curva continua a subir e as pessoas precisam de entender que têm de continuar a prevenir-se", afirmou Magda Nery Robalo.

A alta-comissária para a Covid-19 falava em conferência de imprensa para fazer o balanço da situação epidemiológica no país, tendo em conta os números registados na última semana.

A Guiné-Bissau tem um total acumulado de 3.115 de infetados e registou, até momento, 47 vítimas mortais, a última das quais no último sábado. E segundo os dados divulgados à imprensa, na última semana foram registados um total de 191 casos, mais 47 casos do que na semana anterior. 

Assistir ao vídeo 01:51

Covid-19: Aglomerações continuam no maior mercado da Guiné-Bissau 

Retoma das aulas

Questionada sobre a possibilidade de as aulas serem retomadas ainda esta semana no Setor Autónomo de Bissau, Magda Robalo salientou que o alto-comissariado ainda está a "fazer uma avaliação". "Esta manhã tivemos uma reunião e ainda esta semana o relatório deverá ficar pronto", disse.

O Conselho de Ministros deliberou na quinta-feira "levantar a suspensão do funcionamento das aulas ao nível do Setor Autónomo de Bissau, em todos os níveis de escolaridade, após término do prazo de vigência do estado de calamidade, ainda em vigor", segundo um comunicado do Executivo. Mas salientou-se que a decisão ainda está dependente de uma avaliação a ser feita pelas autoridades competentes, nomeadamente de saúde, educação e Alto-Comissariado para a Covid-19.

O Governo guineense decidiu também prolongar o estado de calamidade, que termina na terça-feira, por mais 30 dias.

O Alto-Comissariado para a Covid-19 voltou a apelar à população residente na Guiné-Bissau para a importância da utilização de máscara e de manter o distanciamento para evitar o contágio com o novo coronavírus.

Assistir ao vídeo 00:52

Guiné-Bissau: Restrições para travar a Covid-19

Leia mais