Covid-19: Sangue de curados trata pacientes na região com mais infeções da Itália | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 03.04.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Covid-19: Sangue de curados trata pacientes na região com mais infeções da Itália

Hospital da Lombardia experimenta tratamento contra a Covid-19 à base de plasma de pessoas curadas após serem infetadas pelo novo coronavírus. Na mesma região, Crematório de Milão encerra devido ao excesso de corpos.

O Hospital Policlínico de Pavia (HPP), na região da Lombardia, no norte da Itália, iniciou um tratamento experimental de plasmoterapia - que utiliza o sangue de doentes curados após infeção pelo novo coronavírus para tratar os que se encontram em estado grave.  

O centro hospitalar pediu doações de sangue a quem tenha recuperado da Covid-19. Segundo jornais locais, os primeiros voluntários foram um casal de médicos - que também foram os primeiros positivos do vírus na província.

"Trata-se de uma terapia que já foi utilizada com êxito contra a SARS e o ébola e que permite proceder em simultâneo a outras terapias", explicou o responsável da Imuno-hematologia do Policlínico de Pavia, Cesare Perotti, ao jornal local Il Ticino.

O procedimento consiste numa transfusão de sangue de um paciente já curado, que possua um "plasma hiperimune" com anticorpos contra a Covid-19. O tratamento está previsto para pacientes em casos graves. 

Italien | Coronavirus: Intensivstation des Krankenhauses von Brescia

Médicos procuram alternativas para tratar pacientes no norte da Itália

A plasmaterapia já foi caucionada pela delegação de médicos chineses de Wuhan que visitaram o hospital há duas semanas e que contribuíram com a sua experiência, ao referirem que testaram o método em mais de mil pacientes e obtiveram resultados positivos. 

As primeiras provas foram realizadas em cinco pacientes do HPP e quatro de um hospital em Mântua, também na Lombardia. O resultado das provas foi positivo, mas ainda não é possível certificar a eficácia da plasmoterapia para tratar o novo coronavírus devido ao número reduzido de tratamentos realizados até ao momento.

Castigados pela Covid-19

Italien Bergamo Coronavirus

Corpos foram levados para outras cidades italianas na região da Lombardia

Milão é outra cidade da Lombardia que sofre coma pandemia. O crematório da cidade encerrou nesta segunda-feira (02.04) devido ao afluxo excessivo de corpos. 

O principal crematório de Milão confronta-se "com um aumento progressivo de corpos que aguardam cremação", segundo os responsáveis do município, que indicaram ainda que o prazo de espera está em 20 dias.

No caso de aumento deste prazo, haveria "problemas de higiene e sanitários". Os responsáveis indicaram que o crematório não aceitará mais corpos por um mês.

Mais de 2,1 mil milaneses morreram em março, contra 1,2 mil no mesmo período de 2019. Em Bérgamo - outra cidade da Lombardia e a mais atingida da Itália - os corpos foram transportados por camiões militares em direção a outras regiões do país para serem incinerados. 

Na Itália, mais de 13 mil pessoas morreram infetadas pelo novo coronavírus.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de Covid-19, já infetou um milhão de pessoas em todo o mundo e provocou 50 mil mortos.