Covid-19: São Tomé e Príncipe recua para estado de alerta | São Tomé e Príncipe | DW | 01.11.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

São Tomé e Príncipe

Covid-19: São Tomé e Príncipe recua para estado de alerta

Governo são-tomense decretou estado de alerta para os próximos 30 dias e baixou nível de vigilância contra a Covid-19, flexibilizando as medidas para prática desportiva e atividades recreativas para pessoas já vacinadas.

Em São Tomé e Príncipe, vigorava o estado de calamidade púbica desde 18.09.

O documento que decreta o estado de alerta, distribuído no domingo (31.10), refere que a decisão foi tomada na reunião do Conselho de Ministros realizada na quinta-feira (28.10), com base nos "dados estatísticos dos últimos dias, e em observância ao relatório do ministro da Saúde" que constatou uma "significativa diminuição dos casos de contagio".

"Em relação às atividades recreativas e de lazer, particularmente as atividades noturnas, estas poderão desenrolar-se, devendo os utentes fazerem prova de terem recebido já as duas doses de vacina contra a Covid-19, ou ainda a apresentação de teste rápido feito no mesmo dia e respeitando as regras gerais sanitárias", lê-se num comunicado do Conselho de Ministros, assinado pelo secretário de Estado da Comunicação Social, Adelino Lucas.

No domínio desportivo "o Governo decidiu pela flexibilização de algumas medidas" referente a prática do futebol, considerando que "todos aqueles atletas que possuírem cartões com as duas doses de vacina contra a Covid-19, ficam dispensados de fazerem os testes rápidos antes dos jogos".

O comunicado do Governo estabelece ainda que "fica autorizado a entrar para os campos de jogos o público que fizer prova de ter já recebido as duas doses de vacina contra a Covid-19".

Infografik Karte Covid-Impffortschritt in Afrika PT

Medidas sanitárias mantidas

Contudo, o Governo decidiu ainda que continuam em vigor "todas as demais medidas e regras gerais sanitárias - como a obrigatoriedade de uso de máscaras em espaços fechados", públicos e privados, "a higienização das mãos e o distanciamento [físico]."

"O Conselho de Ministros analisou igualmente, com agrado, os êxitos que estão sendo alcançados na campanha de vacinação contra a Covid-19 e apela a todos aqueles que ainda não vacinaram para o fazerem em nome da salvaguarda da saúde pública", lê-se no comunicado do Governo.

Na sexta-feira (29.10) as autoridades são-tomenses anunciaram o fim da obrigatoriedade de apresentação de testes de antigénio para passageiros que viajam de São Tomé para Portugal e que tenham o certificado digital de vacina anti-Covid-19 da União Europeia.

Covid-19 em São Tomé e Príncipé

São Tomé e Príncipe registou dois casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, e oito pessoas recuperam da doença na ilha de São Tomé.

Os dados mais recentes indicam que o arquipélago conta atualmente com 3.714 casos de infeção pelo coronavírus desde o início da pandemia, entre os quais 56 óbitos e 3.258 recuperações da doença.

O arquipélago conta ainda, oficialmente, com 400 casos sob vigilância, dos quais 386 na ilha de São Tomé e 10 na ilha do Príncipe.

Destes, 396 encontram-se em isolamento - 386 na ilha de São Tomé e 10 na ilha do Príncipe - e quatro pacientes encontram-se internados na ilha de São Tomé.

O boletim divulgado pelo Ministério da Saúde refere que 80.345 pessoas já receberam a primeira dose da vacina, enquanto 28.493 receberam as duas doses.

Assistir ao vídeo 02:22

Carlos Vila Nova: "Tenho a justa medida das expetativas do nosso povo"

Leia mais