Covid-19: Médico moçambicano residente em Espanha está infetado | Moçambique | DW | 21.03.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Covid-19: Médico moçambicano residente em Espanha está infetado

Informação foi divulgada, este sábado (21.03), pelo ministro da Saúde de Moçambique, Armindo Tiago. Moçambicano está "a receber cuidados" em hospital espanhol. Não há casos confirmados em Moçambique.

Spanien, Madrid: Ausnahmezustand wegen COVID-19 (Reuters/J. Medina)

Rua de Madrid, capital de um dos países mais afetados pelo coronavírus

O primeiro moçambicano de que há registo oficial de infeção com o novo coronavírus está em Espanha, onde reside e é médico, anunciou o ministro da Saúde de Moçambique, Armindo Tiago, este sábado.

"Recebemos através da embaixada em Espanha [a informação de] que temos um cidadão moçambicano que é residente e trabalha na Espanha, médico de profissão", que está num hospital "a receber cuidados" devido à infeção, disse o governante em conferência de imprensa, no aeroporto de Pemba, capital provincial de Cabo Delgado, Norte de Moçambique.

"Não deve ser confundido com um caso em Moçambique, é um caso registado em Espanha", frisou.

Em Moçambique não há registo de nenhuma infeção pelo novo coronavírus, acrescentou.

"Depois de o Governo receber a informação, o que fizemos foi garantir que prestamos todo o apoio necessário a este nosso concidadão afetado pelo coronavírus", sublinhou.

Mosambik Armindo Tiago, Gesundheitsminister (DW/D. Anacleto)

Armindo Tiago

Apelo à prevenção

"É fundamental que cada moçambicano, sem cor partidária, sem religião, faça o seu papel na prevenção do coronavírus: prevenir é melhor que a cura e é a atividade de todos nós", referiu o governante.

Na sexta-feira (20.03), o Presidente da República, Filipe Nyusi, anunciou o encerramento de todas as escolas por 30 dias, assim como a suspensão de vistos pelo mesmo período.

A Conferência Episcopal de Moçambique também suspendeu todas as atividade públicas da igreja católica, incluindo as relativas à Semana Santa (de 4 a 11 de abril).  O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 271 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 12.000 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se já por 182 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, com a Itália a ser o país do mundo com maior número de vítimas mortais, com 4.825 mortos.

Assistir ao vídeo 00:36

Como manter as mãos limpas para evitar o coronavírus

Leia mais