Covid-19 já causou meio milhão de mortes pelo mundo | Angola | DW | 29.06.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Covid-19 já causou meio milhão de mortes pelo mundo

O novo coronavírus já provocou mais de 500 mil mortos e infetou quase 10,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Em apenas cinco meses, a pandemia já matou mais que a malária mata anualmente.

A pandemia de Covid-19 já ultrapassou o patamar do meio milhão de óbitos. O número de mortos por coronavírus em todo o mundo encontra-se em 501.940, segundo a contagem feita pela Universidade Johns Hopkins e partilhada no seu site.

Além disso, o número de contágios chegou aos 10.146.971, segundo os dados divulgados pouco antes das 8h00 GMT desta segunda-feira (29.06). No total, foram considerados curadas pelo menos 4.998.900 pessoas.

Os Estados Unidos registaram até agora 125.803 mortos por Covid-19 - um quarto das mortes mundiais - seguido do Brasil, com 57.622, e o Reino Unido, com 46.634.

Quanto ao número de contágios, a Johns Hopkins confirma que os EUA ocupam o primeiro lugar, com 2.548.996 - à frente do Brasil, com 1.344.143 e Rússia, com 633.563.

O continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes, depois da Europa ter sucedido à China como centro da pandemia.

Entre os países mais atingidos, a Bélgica é a que lamenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 84 mortes por cada 100 mil habitantes, seguida pelo Reino Unido (64 mortes por cada 100 mil habitantes), Espanha (61), Itália (57) e Suécia (52).

Coronavirus New York Hart Island Anlegen von Massengräbern für die Opfer (Reuters/L. Jackson)

Corpos a ser enterrados em Nova York

Covid-19 matou mais que a malária

Em apenas cinco meses, o número de mortes da Covid-19 ultrapassou o número de pessoas que morrem anualmente de malária, uma das doenças infeciosas mais mortíferas.

A taxa média de mortalidade é de 78 mil por mês, em comparação com 64 mil mortes relacionadas com a SIDA e 36 mil mortes por malária, de acordo com os números de 2018 da Organização Mundial de Saúde.

Relativamente ao novo coronavírus, entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné Equatorial lidera em número de infeções e de mortos (2.001 casos e 32 mortos), de acordo com os dados mais recentes das autoridades locais e do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC).

Segue-se a Guiné-Bissau (1.614 casos e 21 mortos), Cabo Verde (1.155 casos e 12 mortos), Moçambique (859 casos e cinco mortos), São Tomé e Príncipe (713 casos e 13 mortos) e Angola (267 infetados e 11 mortos).

Mücke, Blut saugend (picture-alliance/dpa/P. Pleul)

Mosquito transmissor da malária

Jovem morre em Angola

Em Angola, o secretário de Estado para a Saúde Púbica, Franco Mufinda, anunciou domingo (28.06) oito novos casos de Covid-19, um dos quais resultou em morte.

O óbito é relativo a uma jovem com 24 anos com quadro neurológico de miastenia grave e que teve um quadro respiratório provavelmente agravado pela Covid-19. O caso foi detetado no rastreio a doenças respiratórias agudas e graves que está a ser feito nos centros-sentinela, explicou Mufinda.

Mais de 1.000 pessoas encontram-se em quarentena institucional em Angola. Também domingo (28.06), Moçambique anunciou 20 novos casos de infeção pelo novo coronavírus.

O diretor do Instituto Nacional de Saúde, Ilesh Jani, explicou que do total acumulado de casos no país, dois terços são homens, a maioria está "nas faixas etárias mais ativas" dos 20 aos 39 e 55% são assintomáticos. Havendo depois 38% com sintomas leves.

Cabo Verde com 64 novos casos

Ainda no domingo (28.06), Cabo Verde registou mais 64 casos de coronavírus, o maior número registado até agora no país, que acontece pelo segundo dia consecutivo.

Dois dos casos foram registados no Maio - que passa a ser a sétima das nove ilhas habitadas a diagnosticar a doença, faltando apenas Fogo e Brava, segundo o Ministério da Saúde.

Os outros casos positivos foram contabilizados nas ilhas do Sal (40) e Santiago (22), distribuídos pelos concelhos da Praia (19), Santa Cruz (2) e São Salvador do Mundo (1).

Benin Coronavirus Cotonou (DW/Seraphin Zounyepke)

Cidadãos adotam medidas de prevenção no Benin

Coronavírus em África

No continente africano, o número de mortos devido à Covid-19 subiu para 9.657, mais 173 nas últimas 24 horas, em mais de 382 mil casos, segundo os dados mais recentes do África CDC.

O número de recuperados é hoje de 182.569.

A África Austral regista o maior número de casos (143.590) e contabiliza 2.524 mortos, a grande maioria concentrada na África do Sul (2.456 óbitos e 138.134 casos).

O Norte de África lidera no número de mortes, 4.098 em 96.351 infeções.

A África Ocidental conta 1.270 mortos em 73.876 infetados, a África Oriental regista 1.049 vítimas mortais em 35.783 casos, enquanto na África Central há 716 mortos em 33.052 infeções.

O Egito, o país africano com mais vítimas mortais, contabiliza esta segunda-feira (29.06) 2.789 mortos e 65.188 casos de infeção, seguindo-se a África do Sul e depois a Argélia, com 897 vítimas mortais e 13.273 infetados.

Entre os cinco países mais afetados, está também a Nigéria, com 565 mortos e 24.567 infetados, e o Sudão, com 572 mortes, apesar de ter um número de infeções mais reduzido (9.257).

Leia mais