Covid-19 faz quase 4 mil mortos em África | NOTÍCIAS | DW | 30.05.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Covid-19 faz quase 4 mil mortos em África

Continente africano registou 132 mortes nas últimas 24 horas, em mais de 135 mil casos confirmados. Entre os PALOP, Cabo Verde regista este sábado 15 novas infeções e Moçambique 10.

Cabo Verde registou este sábado (30.05) mais 15 novos casos positivos de infeção pelo novo coronavírus, todos na cidade da Praia, elevando o acumulado no país para 421, segundo informação publicada na página oficial do Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP). Os casos estão distribuídos pelas ilhas de Santiago (362), Boa Vista (56) e São Vicente (3). No total, registaram-se quatro óbitos e 167 recuperados.

Já Moçambique registou, nas últimas 24 horas, mais 10 casos positivos de Covid-19, elevando o total de infetados para 244, mantendo os dois óbitos registados, anunciou a diretora de Saúde Pública, Rosa Marlene. Os 10 novos casos foram registados nas províncias de Nampula (dois), Cabo Delgado (cinco) e Cidade Maputo (três), estando entre os pacientes uma criança de menos de cinco anos.

Ainda entre os países africanos de língua portuguesa, a Guiné-Bissau regista 1.256 casos e oito mortos e Angola 81 infetados e quatro mortos, com mais quatro casos confirmados na sexta-feira.

O continente africano registou 132 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, dos 3.922 óbitos contabilizados até hoje, de um total de 135.292 infetados, segundo os dados mais recentes  do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana sobre a pandemia na região.

Coronavirus | Mosambik Inhambane Covid-19-Maßnahmen werden nicht eingehalten

Fiscalização das medidas de prevenção em Inhambane, Moçambique

Estados de emergência prorrogados

Este sábado, o Presidente são-tomense prorroga pela quinta vez consecutiva o estado de emergência em vigor no país, para combater a propagação da Covid-19, anunciou o porta-voz do Governo, Adelino Lucas. "Entendeu-se que é necessário dar-se prosseguimento aos trabalhos iniciados aquando do quinto estado de emergência, que termina no dia 31 deste mês, sobretudo na vertente sanitária e análise da real epidemiológica em São Tomé e Príncipe", disse o representante do Executivo, no final de uma reunião convocada pelo Presidente, Evaristo Carvalho.

Na sexta-feira, o Ministério da Saúde são-tomense anunciou mais cinco casos positivos de Covid-19, aumentando para 463 o número de pessoas com infeção pelo novo coronavírus no arquipélago.

No mesmo dia, também em Moçambique foi prorrogado o estado de emergência: o Parlamento ratificou a segunda prorrogação no país, por mais 30 dias, até 29 de junho, medida promulgada de imediato pelo Presidente.

Na quinta-feira, Filipe Nyusi justificou a medida com o aumento do número de infeções pelo novo coronavírus e o seu alastramento a todas as províncias de Moçambique, indiciando que o país terá entrado na fase de transmissão comunitária.

Cabo Verde alivia restrições quinzenalmente até outubro

Assistir ao vídeo 01:58

Covid-19: Testes em massa na Cidade da Praia

Cabo Verde vai aliviar a cada 15 dias as restrições impostas para conter a pandemia de Covid-19, conforme o plano de desconfinamento até outubro, que entrou em vigor este sábado, mas que poderão ser revertidas em caso de agravamento da transmissão.

Paralelamente, mantém-se a obrigatoriedade de regras de distanciamento social e de uso de máscara para prevenir a transmissão da doença. O "levantamento gradual das medidas restritivas", sublinha a resolução do Governo, "obriga ao cumprimento de condições gerais de segurança sanitária, designadamente de higienização regular dos espaços, higiene das mãos, etiqueta respiratória, utilização de máscaras faciais e a prática do distanciamento físico em locais públicos".

Além disso, também estabelece que o Governo "concede incentivos às empresas e outras organizações privadas no esforço de adaptação da sua atividade".

Nas ilhas sem casos de Covid-19 ativos (todas, com exceção de Santiago), o calendário prevê para 01 de junho a abertura da restauração após as 21:00 e a retoma das ligações marítimas de passageiros para a ilha da Boa Vista (que só este mês deixou de ter casos ativos).

A 15 de junho passam a ser permitas visitas a lares e centros de idosos, hospitais, estabelecimentos prisionais, bem como retomados os transportes públicos terrestres e a atividade de ginásios (na ilha de Santiago só em 15 de julho).

A 30 de junho serão retomadas todas as ligações aéreas interilhas, suspensas no final de março, e em 15 de agosto reabertos campos, pavilhões e outras infraestruturas para prática desportiva, mas com restrição de público (na ilha de Santiago apenas em 15 de setembro).

A 01 de outubro voltam a ser permitidos, em todo o país, eventos públicos com aglomeração de pessoas, atividades desportivas e de lazer com público e reabertas as discotecas.

Leia mais