Covid-19: CEDEAO quer harmonizar preços de testes para ″facilitar viagens″, Alemanha aperta controlo | NOTÍCIAS | DW | 24.01.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Covid-19: CEDEAO quer harmonizar preços de testes para "facilitar viagens", Alemanha aperta controlo

Os 16 países da CEDEAO, que inclui Cabo Verde e Guiné-Bissau, decidiram harmonizar preços dos testes PCR para deteção da Covid-19 para "facilitar as viagens" na região. Na Europa, Alemanha aperta controlos de fronteira.

No mesmo fim-de-semana em que a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) afirma que pretende facilitar as viagens através da harmonização dos preços dos testes para deteção da Covid-19, na Europa, a Alemanha aperta os controlos de fronteira. 

"Os preços dos testes de PCR são diferentes de país para país e tivemos de harmonizar tudo isso, dar melhor visibilidade, em particular aos viajantes que por vezes se perdem nas medidas preventivas para viajar", afirmou o presidente da Comissão da CEDEAO, Jean Claude Kassi Brou. As informações foram avançadas neste sábado (23.01), após uma sessão ordinária da organização por videoconferência. 

"Como comunidade regional, devemos harmonizar as nossas políticas, as nossas ações e as nossas medidas", sublinhou, indicando que os países-membros se comprometeram a cobrar agora pelos testes de Covid-19 o equivalente a 50 dólares (cerca de 41 euros), nas suas respetivas moedas.

"Preço desestimula viajantes"

Alguns países como o Gana ou a Nigéria cobram valores que podem ir até aos 150 dólares - o que desestimula muitos viajantes - que têm de multiplicar os testes de Covid-19 na partida e na chegada.

Jean Claude Kassi Brou anunciou também que um "fundo de vacinas covid" será estabelecido no seio da CEDEAO, financiado pelos governos membros da organização, mas também por parceiros tradicionais.

"Isso permitir-nos-á adquirir vacinas agrupadas, ter mais sorte na disponibilidade [dos laboratórios] e também beneficiarmos de custos mais competitivos", acrescentou o responsável.

Alemanha aperta controlos de fronteira

Mas, na Europa, os alemães definiram nesta sexta-feira (22.01) um novo grupo de mais de vinte países considerados de "alta incidência", incluindo Portugal, para os quais estão contempladas restrições mais severas para a entrada em território alemão.

Deutschland - Flughafen Frankfurt im Teil-Lockdown

Aeroporto alemão de Frankfurt durante o lockdown.

A partir de deste domingo (24.01), viajantes de países com incidência cumulativa de mais de 200 novas infeções por 100 mil habitantes só podem entrar na Alemanha se apresentarem teste PCR negativo realizado na origem até 48 horas antes do voo e devem fazer uma segunda a partir do quinto dia de quarentena. 

Neste grupo estão, além de Portugal, Albânia, Andorra, Bolívia, Bósnia, Egito, Emirados Árabes Unidos, Eslovénia, Estados Unidos, Estónia, Irão, Israel, Colômbia, Kosovo, Letónia, Líbano, Lituânia, Macedónia do Norte, México, Montenegro, Panamá, Espanha, República Checa, Sérvia e Territórios Palestinianos. 

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.107.903 mortos resultantes de mais de 98 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.  

Assistir ao vídeo 03:34

Covid-19: Nova variante causa preocupação na UE