Covid-19: Banco africano vai ajudar países com 3 mil milhões de dólares | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 25.03.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Covid-19: Banco africano vai ajudar países com 3 mil milhões de dólares

Financiamento foi anunciado pelo Banco Africano de Exportações e Importações (Afreximbank) e destina-se aos "bancos centrais dos países-membros". Objetivo é reduzir os impactos económicos da pandemia.

Coronavirus West Bank Bethlehem Testlabor

Foto simbólica

"O Instrumento de Mitigação do Impacto no Comércio da Pandemia (PATIMFA, na sigla em inglês) vai fornecer financiamento para ajudar os países-membros do Afreximbank a ajustarem-se de forma ordeira aos choques financeiro, económico e dos serviços de saúde causados pela Covid-19", lê-se num comunicado do banco enviado à agência de notícias Lusa esta quarta-feira (25.03).

No documento, a instituição financeira liderada por Benedict Oramah explica que o valor de cerca de 2,7 mil milhões de euros servirá para "apoiar os bancos centrais dos países-membros, e outras instituições financeiras, a cumprir pagamentos de dívida e a evitar incumprimentos financeiros, estando também disponível para apoiar e estabilizar os recursos cambiais dos bancos centrais, financiando as importações fundamentais em condições de emergência".

A verba, decidida na reunião da administração do banco na sexta-feira passada (20.03), vai também permitir compensar a quebra nas receitas de exportação e facilitar a importação de "bens urgentes para combater a pandemia, incluindo medicamentos, equipamentos médicos e remodelações hospitalares".

No comunicado, o banco explica ainda que este instrumento de financiamento "vai estar disponível através de financiamento direto, linhas de crédito, garantias, trocas cambiais" e outras modalidades financeiras.

Impactos da pandemia

"Além do preocupante efeito na vida humana, a pandemia deverá custar 1 bilião de dólares à economia global e resultar num declínio de 0,4 pontos percentuais no crescimento do PIB mundial, que deverá cair de 2,9% em 2019 para 2,5% este ano", disse o presidente do banco, citado no comunicado.

"O continente africano está exposto em muitas frentes, incluindo em quebras significativas nas receitas do turismo, redução das remessas, preços das matérias-primas e perturbações na cadeia de produção de bens, por isso é necessária uma rápida e significativa resposta financeira para evitar uma grande crise em África", acrescentou o banqueiro.

Num relatório divulgado também esta quarta-feira (25.03), o departamento de estudos do banco africano Standard Bank alertou que as economias da região vão sofrer depreciações na moeda e um aumento das taxas de juro cobradas pelos investidores nas emissões de dívida.

Assistir ao vídeo 02:37

Alemanha: Isolamento social contra a pandemia de Covid-19

Depreciação

"Um grande número de moedas na nossa análise já se depreciou mais de 3% no último mês, e a curto prazo algumas devem depreciar-se ainda mais", lê-se no relatório deste mês sobre as economias africanas.

No documento, os economistas do Standard Bank dizem que "a combinação da pandemia de Covid-19 e a queda dos preços do petróleo já empurrou os juros da dívida para cima, e a pressão ascendente é uma clara demonstração de que os mercados encaram com apreensão a posição orçamental de alguns Governos".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de 400 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram cerca de 18 mil. O continente africano registou 58 mortes devido ao novo coronavírus, aproximando-se dos 2.000 casos em 45 países e territórios, segundo as estatísticas mais recentes. Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena, estado de emergência e o encerramento de fronteiras.

Leia mais