Covid-19: Autoridades prometem meios e proteção ao pessoal de saúde | Moçambique | DW | 25.01.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Covid-19: Autoridades prometem meios e proteção ao pessoal de saúde

O Ministério da Saúde (MISAU) anunciou, por exemplo, mais 320 camas no Hospital de Mavalane e a dispensa de profissionais de saúde com idade igual ou superior a 55 anos e/ou portadores de doenças consideradas de risco.

Italien Cremona | Coronavirus: Cremona Hospital

Imagem ilustrativa

Estiveram reunidos, nos dias 24 e 25, juntamente com o Ministério da Saúde (MISAU), a Associação Nacional dos Enfermeiros de Moçambique, Associação Médica de Moçambique (AMM), a Associação Moçambicana dos Técnicos de Laboratórios de Análises Clínicas, Ordem dos Enfermeiros e a Ordem dos Médicos de Moçambique tendo em vista a análise do agravamento da situação epidemiológica da Covid-19 no país.

O aumento do número de casos - também entre os profisssionais de saúde - internamentos e óbitos preocupam principalmente na área metropolitana da grande Maputo.

Durante os dois dias do encontro, os diferentes organismos avaliaram a resposta do setor da saúde no país diante da pandemia do novo coronavírus.

Uma das maiores preocupações, perante o aumento dos casos positivos, prende-se com o número de camas disponíveis na capital, tanto no setor público como no privado.

Armindo Tiago

Armindo Tiago, ministro da Saúde, tem alertado para os perigos do agravamento da situação no país

Nesse sentido, o MISAU informou, através de um comunicado, que o Hospital Geral de Mavalane está a ser mobilizado para acomodar 320 camas destinadas a doentes com Covid-19.

Alternativas para aquisição de vacinas

Outros temas estiveram igualmente em cima da mesa, durante esses dois dias, nomeadamente a necessidade de aprimorar a distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) nas unidades sanitárias. O ministério tranquiliza e confirma a disponibilidade de EPI para cobrir as necessidade dos país.

Quanto ao processo de vacinação contra a Covid-19, o MISAU assegura que está a explorar alternativas para a aquisição de vacinas, além da COVAX. Na fileira da frente das prioridades estão os profissionais de saúde, confirma.

Do encontro saiu o acordo em como os profissionais de saúde com idade igual ou superior a 55 anos e/ou portadores de doenças consideradas de risco serão dispensados. Em contrapartida, reconhece a necessidade de mais profissionais de saúde.

O MISAU passará a realocar recursos humanos de modo a assegurar o bom funcionamento dos serviços essenciais nas unidades sanitárias e nos Centros de isolamento de Covid-19.

Este domingo, (24.01), catorze médicos e enfermeiros cubanos, ligados ao setor dos cuidados intensivos, chegaram a Maputo para reforçarem as equipas de combate à Covid-19. Outros 31 profissionais são esperados no dia 2 de fevereiro.

Assistir ao vídeo 01:24

Inhambane: Profissionais de saúde sem material para prevenir Covid-19

Leia mais