Covid-19: África vai receber menos um quarto das vacinas do que o previsto | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 09.09.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Covid-19: África vai receber menos um quarto das vacinas do que o previsto

África vai receber menos um quarto das vacinas contra a Covid-19 do que o que contava ter até ao final do ano. OMS alerta que decréscimo do número de doses disponíveis compromete as metas de vacinação no continente.

A diretora da Organização Mundial da Saúde (OMS) para África, Matshidiso Moeti, partilhou a estimativa com os jornalistas, após o anúncio do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), que dá conta que pouco mais de 3% das pessoas em todo o continente africano foram totalmente vacinadas.

Essa cobertura cai para 1,7% se os dados forem segmentados apenas para a África subsaariana, segundo dados da OMS.

WHO - Ebola-Lage im Kongo | Matshidiso Moeti

Matshidiso Moeti, diretora para África da Organização Mundial da Saúde

As autoridades de saúde africanas mostraram-se consternadas com o anúncio feito na quarta-feira (08.09) de que o esforço global da COVAX para distribuir vacinas a países de baixo e médio rendimento está novamente a cortar a sua previsão de entrega.

Essa revisão, disse Moeti aos repórteres, é "em parte devido à priorização dos acordos bilaterais sobre a solidariedade internacional”.

Os desafios da COVAX, juntamente com os controlos da exportação de doses de vacinas e a introdução de vacinas de reforço por parte de alguns países, "significa realmente que, no final, tem de haver um cálculo, uma projeção de que iremos receber 25% menos doses do que estávamos a prever antes do final do ano", disse.

EUA a desperdiçar mais doses

Moeti observou que, embora a COVAX tenha fornecido mais de cinco milhões de doses de vacinas a países africanos na semana passada, "só nos Estados Unidos foram deitadas fora três vezes mais doses" desde março.

"Cada dose é preciosa", disse Moeti, acrescentando que os países de elevado rendimento se comprometeram a partilhar mil milhões de doses a nível mundial, mas, até agora, apenas 120 milhões foram libertados.

"Se as empresas e os países dessem prioridade à equidade das vacinas, esta pandemia estaria rapidamente ultrapassada", acrescentou.

USA Schulanfang Schule Coronavirus Impfung

Criança é vacinada em Longwood, Florida, Estados Unidos

A OMS considera que o objetivo de vacinar 10% das pessoas em África até ao final deste mês está a ser falhado. O objetivo é vacinar 40% até ao final do ano.

O CDC de África diz que 145 milhões de doses de vacinas foram adquiridas em todo o continente de 1,3 mil milhões de pessoas, e 111 milhões delas (77%) foram administradas.

Muito mais são necessárias e o anúncio de vacinas de reforço por alguns países mais ricos, incluindo os Estados Unidos, também causou alarme.

O diretor-geral da OMS apelou na quarta-feira para um atraso na administração de vacinas de reforço até ao final do ano, a fim de combater a forte desigualdade de vacinas.

Os países africanos assistiram recentemente a um forte ressurgimento de casos impulsionados pela variante delta, mas o diretor da OMS para África relatou um decréscimo de quase 25% em novos casos na semana passada, "a queda mais acentuada em oito semanas desde o pico em julho".

Assistir ao vídeo 04:57

"Nha Card": O certificado digital Covid de Cabo Verde

Leia mais