Covid-19: África tem mais de 80 mil infeções | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 17.05.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Covid-19: África tem mais de 80 mil infeções

Nas últimas 24 horas, o continente africano registou 3.113 novos casos do novo coronavírus. Governo do Zimbabué anuncia que confinamento imposto não tem prazo para terminar. RDC vai iniciar desconfinamento progressivo.

Queniana vende máscaras no bairro de lata de Kibera

Queniana vende máscaras no bairro de lata de Kibera

O número de casos da Covid-19 no continente africano aumentou para 81.307, anunciou este domingo (17.05) o Centro de Controlo e Previsão de Doenças da União Africana (CDC Africa). Nas últimas 24 horas, foram registadas 3.113 novas infeções. Mais de 31 mil pessoas se recuperaram.

Os óbitos em África subiram para 2.704, com 74 mortes registadas de sábado para domingo. O mesmo número de novos óbitos tinha sido registado de sexta-feira (15.05) para sábado.  

No Zimbabué, o Presidente Emmerson Mnangagwa anunciou este domingo que o confinamento imposto desde 30 de março vai manter-se "por tempo indeterminado". A situação vai ser revista a cada duas semanas. O chefe de Estado congratulou-se com os efeitos positivos do confinamento, considerando que refletem os baixos números de contágios.

Desde o início do surto no país, o Zimbabué testou 25 mil pessoas, tendo registado oficialmente 42 casos de infeção pelo novo coronavírus, incluindo quatro óbitos.

"Como tal, o Zimbabué vai permanecer em confinamento por tempo indeterminado", disse Emmerson Mnangagwa, numa intervenção na televisão pública. "Vamos reavaliar a situação a cada duas semanas para observar o progresso - ou a falta de progresso", acrescentou.

Desconfinamento na RDC

Já a República Democrática do Congo vai proceder a um "desconfinamento progressivo e por etapas" a partir de segunda-feira (18.05). As fronteiras vão permanecer fechadas e as duas principais cidades, Brazzaville e Pointe-Noire, vão continuar isoladas do resto do país. As duas cidades concentram 97% dos 412 casos registados oficialmente no país.

Assistir ao vídeo 02:33

Vacina BCG é testada contra Covid-19 na África do Sul

Decretado no final de março após os primeiros casos de infeção pelo novo coronavírus importados da Europa, "o fecho das fronteiras aéreas, terrestres, fluviais e marítimas" permanece em vigor, exceto no transporte de mercadorias, declarou o primeiro-ministro congolês, Clément Mouamba.

Bares, restaurantes e hotéis permanecem fechados. O recolher obrigatório das 20:00 às 05:00 será mantido "como parte do estado de emergência sanitária". As aulas nas escolas serão retomadas apenas para os alunos que vão fazer exames. "A reabertura das escolas para os restantes alunos é adiada para setembro de 2020". As universidades permanecem fechadas.

Em todo mundo, foram registados mais de 4,6 milhões de casos do novo coronavírus, além de mais de 312 mil mortes. Os Estados Unidos da América são o país com o maior número de infeções - mais de 1,4 milhões. Na sequência, vem a Rússia, o Reino Unido e o Brasil, com 233 mil contaminados.

Leia mais