Covid-19: África do Sul aprova vacina para uso emergencial | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 27.01.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Covid-19: África do Sul aprova vacina para uso emergencial

A África do Sul aprovou a vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca para uso emergencial e está a revisar candidaturas das fabricantes rivais, Johnson & Johnson e Pfizer, anunciou o regulador de medicamentos sul-africano.

A África do Sul pagará 5,25 dólares por dose por 1,5 milhões de doses da vacina da AstraZeneca do Instituto Serum da Índia. Espera-se que as vacinas cheguem ao longo deste mês e em fevereiro para proporcionar proteção aos trabalhadores da linha da frente.

"A vacina da AstraZeneca, recebeu (aprovação) para uso emergencial e haverá uma conferência de imprensa com o ministro da Saúde sobre isto (mais tarde)", disse Helen Rees, presidente da autoridade sul-africana para produtos de saúde (SAHPRA na sigla inglesa) durante uma conferência de imprensa esta quarta-feira (27.01).

Data visualization COVID-19 New Cases Per Capita – 2021-01-27 – Africa - Portuguese (Africa)

Johnson & Johnson continua em avaliação

A diretora-executiva do regulador da mesma instituição, Boitumelo Semete-Makokotlela, acrescentou que a candidatura da vacina da Johnson & Johnson, que se tornou o primeiro fornecedor a solicitar o registo em dezembro, ainda necessita de mais informações antes de haver uma decisão, apesar dos estudos de já se encontrarem na avançada fase três.

A África do Sul sofreu um aumento nas infeções provocado por uma nova variante do coronavírus, mais contagiosa, que levou a 21.000 novos casos diários no início de janeiro, embora diminuíram agora para menos de 10.000.

Esta quarta-feira, o partido da oposição, Aliança Democrática (DA), anunciou uma ação judicial para forçar o Governo do Presidente Cyril Ramaphosa a divulgar detalhes dos seus planos de vacinação contra a Covid-19.

Assistir ao vídeo 03:23

Quénia: Profissionais de saúde esperam e desesperam por vacina contra a Covid-19

Leia mais