Covax acelera vacinação contra a Covid-19 em África | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 04.03.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Covax acelera vacinação contra a Covid-19 em África

Plataforma global Covax promete entregar, até ao final do mês, cerca de 90 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 aos países de rendimento baixo e médio. O Gana foi o primeiro a receber estas vacinas.

A iniciativa Covax - organismo que visa garantir um acesso igualitário da vacina para a Covid-19 a todos os países do mundo - passou do papel à prática e tem acelerado o ritmo de entrega de vacinas no continente africano.

Quénia, Ruanda e Lesoto estão entre os países que já receberam as primeiras doses, além do Gana que foi o primeiro país a receber vacinas financiadas pelo sistema Covax.

Andrew Brown, responsável da área da comunicação da UNICEF no Quénia, explica que o primeiro carregamento de um milhão de vacinas para o Quénia faz parte de uma encomenda de 3,5 milhões para o país no âmbito da Covax.

Assistir ao vídeo 01:58

Covid-19: Alemanha quer ajudar a levar a vacina para África

"Na verdade, é o que está a acontecer esta semana em cerca de 20 países. Mas, o plano é que os países, independentemente dos seus rendimentos, tenham acesso à vacina, particularmente para as pessoas vulneráveis nesses países", complementa.

O diretor do Centro Africano de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), John Nkengasong, alertou, na semana passada, para a necessidade da vacinação de pelo menos 60% da população do continente que soma 1,3 mil milhões de pessoas.

Até ao fim do mês de maio, a Covax prevê a entrega de 237 milhões de doses de vacinas da AstraZeneca e de 1,2 milhões de doses da vacina Pfizer.

Vacinas também já chegaram a Angola

Angola é o primeiro país lusófono a receber as vacinas entregues pela iniciativa Covax. A ministra da Saúde do país, Sílvia Lutucuta, diz que o país pretende vacinar cerca de 20% da população. As províncias de Luanda, Benguela e Cabinda são as escolhidas para o arranque da campanha por serem as regiões com maior número de casos.

Ghana Accra | 37 Militärkrankenhaus: Nana Akufo-Addo wird geimpft

O Presidente do Gana, Nana Akufo-Addo, foi a primeira pessoa a receber uma vacina contra a covid-19 financiada pela Covax

Nos países africanos de língua oficial portuguesa, São Tomé e Príncipe deverá receber 24 mil doses de vacinas já nesta sexta-feira (05.03). Cabo Verde ainda não tem uma data para a entrega das vacinas, mas Ulisses Correia e Silva, o primeiro-ministro cabo-verdiano, diz que o processo deveria ser agilizado por causa do surgimento no arquipélago da variante do vírus detetada no Reino Unido.

A chanceler alemã, Angela Merkel, anunciou em fevereiro que a Alemanha disponibiliza mais de três mil milhões de euros para apoiar a iniciativa Covax. E assegura que mais de dois milhões de vacinas cheguem a Moçambique ainda neste semestre.

Quanto à Guiné-Bissau, a União Europeia (UE) já tinha anunciado que o país vai receber 144.000 doses da vacina AstraZeneca até ao final de março.

Até agora, Gana, Costa do Marfim, Nigéria, Angola, Gâmbia e República Democrática do Congo receberam as primeiras doses da vacina entregues pela Covax, com outros países como Mali, Senegal, Malawi e Uganda à esperar de receber a fórmula ainda esta semana.

A Covax tem enfrentado atrasos relacionados com o fornecimento das vacinas, limitadas a nível global, assim como condicionamentos logísticos.

Data visualization COVID-19 New Cases Per Capita – 2021-03-03 – Africa - Portuguese (Africa)

Leia mais