Coronavírus em Cabo Verde: “Isto é uma guerra” | NOTÍCIAS | DW | 20.03.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Coronavírus em Cabo Verde: “Isto é uma guerra”

O Governo cabo-verdiano colocou de quarentena a ilha da Boavista, após confirmar primeiro caso de Covid-19. O Executivo exorta a população a obedecer as instruções para que o país vença a “guerra” contra o coronavírus.

Após uma reunião do gabinete de crise, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva anunciou que a ilha da Boavista vai ficar em quarentena nas próximas duas semanas, para evitar situações de contágio. Durante esse espaço de tempo, ninguém poderá entrar ou sair da ilha.

O primeiro-ministro especificou os parâmetros: "Interdição de voos domésticos de e para a Boavista. Interdição de transporte de passageiros através de navios comerciais e de pesca. Exceção para situações sanitárias, evacuações de doentes e situações de emergência e de repatriamento".

Vão ainda ser encerrados "todos os serviços públicos e privados, empresas públicas e privadas, com exceção de farmácias e serviços públicos e privados de saúde, forças de segurança e serviços de proteção civil, serviços portuários e aeroportuários", disse o governante.

Primeira vítima é turista inglês

Os estabelecimentos comerciais de venda e abastecimento de bens alimentares, de higiene e limpeza, os serviços de entrega domiciliária de refeições, os postos de combustíveis e os bancos continuam, para já, de portas abertas.

Ouvir o áudio 03:31

Coronavírus em Cabo Verde: “Isto é uma guerra”

Cabo Verde confirmou na quinta-feira (19.03) à noite o primeiro caso do Covid-19 no país, doença causada pelo novo coronavírus que assola o mundo.

Segundo o ministro da Saúde, Arlindo do Rosário, trata-se de um turista de nacionalidade inglesa de 62 anos, que chegou à ilha no dia 9 de março e ao fim de sete dias iniciou um quadro respiratório com tosse e febre. "O quadro clínico é estável e encontra-se sob os cuidados da equipa da delegacia de saúde", disse o responsável.

"Nada de festas"

O turista inglês detetado com o coronavírus obrigou que os 850 hóspedes do hotel fossem colocados imediatamente de quarentena. Até agora as autoridades não constaram nenhum caso suspeito entre as pessoas que se encontram no hotel, e afirmam ter adotado todas as medidas de prevenção necessária de modo a reduzir o risco de transmissão e de propagação do vírus.

O primeiro-ministro pediu a população que adote medidas de distanciamento social.

"Nada de cumprimentar com beijos, apertos de mãos e abraços. Nada de festas, idas ao mar ou outras situações de ajuntamento de pessoas. Este não é o momento para isso.

Fiquem em casa", disse Correia e Silva, que explicou que o combate da pandemia é uma guerra: "Na guerra as pessoas cumprem as ordens. Esta guerra ganha-se com o comportamento e a mudança de hábitos de cada pessoa e cada família", disse o governante.

 

Leia mais