COP24 começa com apelo por ′ações decisivas′ contra alterações climáticas | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 02.12.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

COP24 começa com apelo por 'ações decisivas' contra alterações climáticas

Líderes alertam que mundo está em encruzilhada diante de "ameaças urgentes". Cimeira do Clima da ONU em Katowice, na Polónia, é um teste sobre comprometimento de países com metas climáticas do Acordo de Paris.

A Cimeira do Clima da ONU arrancou este domingo (02.12) em Katowice, na Polônia, com um apelo para que Governos de todo o mundo tomem "ações decisivas" para enfrentar a "ameaça urgente" do aquecimento global.

O apelo foi feito numa cerimónia pelos presidentes das últimas quatro cimeiras do clima: o ex-ministro do Meio Ambiente peruano, Manuel Pulgar-Vidal (responsável pela COP20); o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros de França, Laurent Fabius (COP21); o ministro dos Negócios Estrangeiros marroquino, Salaheddine Mezouar (COP22); e o primeiro-ministro das Ilhas Fiji, Frank Bainimarama (COP23).

Frank Bainimarama passou o mandato ao seu sucessor, o secretário de Estado da Energia polaco Michal Kurtyka, que presidirá à 24.ª conferência da ONU para o clima (COP24).

Belgien Brüssel Demonstration gegen Klimawandel

Marcha pelo clima reúne centenas de pessoas em Bruxelas

"O mundo está numa encruzilhada e a ação decisiva nos próximos dois anos é crucial para enfrentar essas ameaças urgentes", disseram os líderes, na nota, em referência aos efeitos das alterações climáticas.

O encontro em Katowice é visto como um teste do comprometimento dos países signatários em implementar medidas para alcançar as suas próprias metas climáticas, dentro do que foi definido em Paris. O objetivo é enviar uma "mensagem inequívoca" a todos os países para que reduzam as emissões de dióxido de carbono e que abandonem completamente as emissões de poluentes de combustíveis fósseis.

"Que aquilo que os ministros e outros líderes disserem e fizerem em Katowice na COP24 ajude a determinar os esforços dos próximos anos. Qualquer atraso só tornará mais difícil enfrentar a resposta à mudança climática", alertaram.

Impulso

A COP24 recebeu um impulso neste fim de semana, quando 19 grandes economias, reunidas na cúpula do G20 em Buenos Aires, reafirmaram seu comprometimento com o Acordo de Paris. A exceção foram os Estados Unidos, cujo presidente, Donald Trump, anunciou que vai deixar o acordo.

Os primeiros encontros plenários começam este domingo, mas a cerimónia de abertura oficial do encontro mundial está marcado para esta segunda-feira. O evento com enviados de quase 200 nações se prolonga até 14 de dezembro. 

O Governo federal alemão deverá lançar esta semana uma iniciativa para atrair mais investimentos privados a projetos em África, afirmou o ministro do Desenvolvimento da Alemanha, Gerd Müller.

Müller adiantou que a Alemanha enviará um "sinal claro" e prometeu que o país destinar 1,5 bilhões de euros adicionais para a proteção do clima.

Negociadores de todo o mundo terão duas semanas de conversações sobre as mudanças climáticas e sobre como implementar as medidas para manter o aquecimento do planeta abaixo de 2 graus Celsius, definidos no Acordo de Paris em 2015. A propósito do início da COP24 realiza-se este domingo em Bruxelas uma marcha pelo clima.

Leia mais