Conselho de Segurança da União Africana reúne-se em Angola | NOTÍCIAS | DW | 05.12.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Conselho de Segurança da União Africana reúne-se em Angola

Luanda recebe esta quinta e sexta-feira uma reunião de ministros do Conselho de Paz e Segurança da União Africana e esperam-se soluções concretas para os conflitos no continente. Sudão do Sul e RDC estarão em destaque.

Angola assumiu no domingo (01.12) a presidência rotativa do Conselho de Paz e Segurança da União Africana (UA) e a liderança arranca com uma reunião de ministros dedicada aos temas da Paz e Segurança esta quinta e sexta-feira, em Luanda.

Manuel Augusto, ministro das Relações Exteriores de Angola, lembrou esta semana que ainda há focos de conflito no continente e que a União Africana está atenta: "Estamos preocupados com aqueles países onde ainda existem conflitos ou onde há conflitos latentes", disse o ministro. ”"oje chama a atenção da UA e do seu processo de paz a situação ainda prevalecente no sul do Sudão, onde está em curso um exercício para implementação do chamado acordo revitalizado para Sul do Sudão", explicou.

O acordo foi assinado em setembro de 2018. Mas a violência continua no Sudão do Sul. Rebeldes que ficaram de fora do acordo continuam a pegar nas armas para combater o Governo. O país entrou em guerra há seis anos: 380 mil pessoas morreram e mais de quatro milhões foram obrigadas a deixar as suas casas.

Em busca de soluções

Além do Sudão do Sul, na reunião ministerial que começa esta quinta-feira em Luanda deverá também ser debatida a situação da República Centro-Africana e do leste da República Democrática do Congo, bem como a tensão na região dos Grandes Lagos, entre o Ruanda e o Uganda e o Ruanda e o Burundi.

Angola garante que já está envolvida na procura de soluções para algumas destas situações. E o analista político Osvaldo Mboco não duvida que o país tem um contributo importante a dar: "Luanda, ao ser escolhida como a capital para albergar as questões ligadas à paz e segurança ao nível do continente africano, mostra claramente a importância que o país tem em matéria de gestão e resolução de conflitos".

O encontro de Luanda tem como tema central a "Reconciliação Nacional, Restauração da Paz, Segurança e Reconstrução da Coesão em África". Além de ministros dos 15 Estados-membros do Conselho de Paz e Segurança da União Africana, estarão ainda presentes os chefes da diplomacia do Mali, Níger, República Centro-Africana e República Democrática do Congo.

Espera-se que a reunião traga propostas concretas para resolver os conflitos e alavancar os países economicamente. O especialista em questões internacionais Osvaldo Mboco entende que é preciso colocar o continente em primeiro lugar.

"Quando os africanos pensarem que os interesses pessoais estão abaixo dos interesses do próprio continente, então o continente poderá avançar. Também [é preciso] vontade política por parte de diferentes grupos. Uma política de inclusão e de participação de diferentes grupos é crucial no meio de tudo isso. O caminho para se chegar ao poder não deve ser a força das armas, mas deve ser pela força da competição política", sublinha.

Leia mais