Ciclone Idai: FAO em ações com vista à próxima campanha agrícola | Moçambique | DW | 01.04.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Ciclone Idai: FAO em ações com vista à próxima campanha agrícola

FAO vai distribuir 180 toneladas de sementes de feijão e milho as vítimas do ciclone Idai nas províncias de Manica e Sofala. Ação da organização visa a próxima campanha agrícola que arranca agora em abril.

Agricultoras vítimas do ciclone Idai preparam as suas sementes à beira de uma estrada em Manica

Agricultoras vítimas do ciclone Idai preparam as suas sementes à beira de uma estrada em Manica

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) vai distribuir 180 toneladas de sementes de feijão e milho as vítimas do Ciclone Idai nas províncias de Manica e Sofala.

O ciclone Idai destruiu cerca de 500.000 hectares de culturas diversas nas províncias do centro de Moçambique afetatas pelo ciclone Idai a 14 de março, segundo dados da FAO, enquanto o Governo moçambicano estima em 669.000 os hectares afetados.

De acordo com a FAO, parte significativa da área de cultivo ficou inundada em vésperas da colheita de milho e soja, tendo sido as províncias de Sofala e Manica, que contribuem com 25% da produção nacional, as mais afetadas.

"Neste momento que as águas já baixaram, é crucial que o Governo, a FAO e seus parceiros entrem em ação rapidamente", disse Olman Serrano, representante da FAO em Moçambique.

De olho já na próxima campanha agrícola

"Uma vez que tenhamos estabelecido como e quanta terra pode ser recuperada, vamos distribuir as sementes com urgência para que os agricultores possam plantar para a segunda campanha agrícola, que se inicia agora, em abril", declarou Olman Serreno.

FAO, Food and Agriculture Organisation of the United Nations, Logo

Logotipo da FAO, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação

De acordo com o ponto de situação divulgado pelo Instituto Nacional de Gestão de Catástrofes (INGC), há um resgisto de 1.641 feridos e mais de 146 mil pessoas estão agora instaladas em centros de acolhimento.

A estimativa de pessoas afetadas mantém-se nas 843.723 e o número de famílias beneficiárias de assistência humanitária é agora de 29.291. O grupo de pessoas afetadas inclui todas aquelas que perderam as casas, precisam de alimentos ou de algum tipo de assistência.

Ainda segundo o INGC, o Ciclone Idai provocou danos em 3.318 salas de aulas, prejudicando 150.854 alunos.  

Leia mais