CEDEAO inicia cimeira sobre situação no Mali | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 30.05.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

CEDEAO inicia cimeira sobre situação no Mali

Presidente do Gana salientou "compromisso da região para uma transição pacífica" e pediu "apoio ao povo do Mali" na busca por "solução pacífica".

Os líderes da África Ocidental reuniram-se no Gana este domingo (30.05) para discutir uma resposta à situação política do Mali.

No início das conversações, o Presidente do Gana, Nana Akufo-Addo, salientou o "compromisso da região para com uma transição pacífica" no Mali.

Os presidentes Muhammadu Buhari da Nigéria, Alassane Ouattara da Costa do Marfim e Marc Christian Kabore do Burkina Faso estiveram entre os participantes na cimeira extraordinária, que foi antecedida por mais um ataque islamista mortífero no sul do país.

O ex-Presidente nigeriano Goodluck Jonathan, mediador na crise, também esteve presente.

"Exorto as vossas excelências a permanecerem resolutas no apoio ao povo do Mali para encontrar uma solução pacífica e restaurar a democracia e a estabilidade no país", disse Akufo-Addo, cujo país detém a presidência rotativa da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

"Reitero, em nome da CEDEAO, o nosso empenho contínuo na transição pacífica no Mali com o objetivo básico de restaurar o governo democrático e a estabilidade no Mali e na nossa região", acrescentou o Presidente do Gana.

O coronel Assimi Goita, recentemente nomeado pelo Tribunal Constitucional como Presidente de transição no Mali, chegou à capital ganesa, Accra, no sábado (29.05), para conversações preliminares. Está previsto um encontro dele com outros líderes do bloco a portas fechadas.

Mali Oberst Assimi Goita, neuer Übergangspräsident

Coronel Assimi Goita

Tomada de poder

Goita liderou os jovens oficiais do exército que derrubaram o Presidente eleito do Mali, Ibrahim Boubacar Keita, em agosto passado, por causa da percepção de corrupção e do seu fracasso em reprimir uma insurreição jihadista.

Após a tomada do poder, os militares concordaram em nomear civis para as posições de Presidente interino e primeiro-ministro, sob pressão da CEDEAO.

Mas na segunda-feira (24.05), os militares detiveram o Presidente de transição Bah Ndaw e o primeiro-ministro Moctar Ouane, libertando-os na quinta-feira (27.05) dizendo que se tinham demitido.

As detenções desencadearam um tumulto diplomático e marcaram um aparente segundo golpe de Estado no Mali no espaço de um ano.

Ataque no sul

Quatro civis e um agente da polícia foram mortos este domingo (30.05) por supostos islamistas no sul do Mali, disse um oficial de segurança, sob condição de anonimato.

Os homens não identificados atacaram um posto de controlo perto da cidade de Bougouni, a cerca de 100 quilómetros das fronteiras do Mali com a Costa do Marfim e a Guiné, entre as 3:30 e as 4:00 da manhã (hora local), disse o oficial.

Assistir ao vídeo 03:12

Conflito no Mali: Dogon acham refúgio na sua terra ancestral

Leia mais